Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 26 de maio de 2022
SADER_FULL
Busca
COLAPSO NO PRÉ-NATAL

Só investimento no pré-natal pode acabar com caos em maternidades da Capital

Número de bebês prematuros subiu de 18% para 21%, em 2021, sendo que a média nacional é 12%, segundo médico - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

17 Jan 2022 - 06h30Por Campo Grande News

Mães com filhos que nasceram antes do tempo sofrem ao saber que a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal está lotada, enquanto outras vão chegando para parir e descobrem que as salas de parto estão ocupadas pelos bebês prematuros que não couberam na UTI. A situação na Santa Casa de Campo Grande não é nova. Na Maternidade Cândido Mariano o cenário é semelhante, segundo o secretário Municipal de Saúde, José Mauro Pinto de Castro Filho, que já entregou quatro novos leitos, trabalha para entregar mais onze até março e reclama da demanda do interior do Estado.

Com 80% de prematuros a mais do que é capaz de atender, a Santa Casa improvisa e só atende mães em estado grave, com sangramentos e pressão alta, e as prestes a parir. A orientação do hospital é que as mães procurem outros hospitais ou a UBS (Unidade Básica de Saúde).

Parece ironia do destino, mas a recomendação é para que as mães procurem justamente a unidade básica, onde o pré-natal não tem sido feito como deveria, segundo o secretário de Saúde e coordenador médico da Maternidade da Santa Casa, William Leite Lemos Júnior.

O hospital alega que já informou a prefeitura sobre a superlotação e espera que a UBS encaminhe as mães prestes a parir a outros hospitais.


Problemas do pré-natal - Os dois afirmam que o pré-natal da rede pública precisa melhorar, mas apontam causas diferentes para o problema. Para o secretário de Saúde, o pré-natal foi prejudicado pela pandemia.

“Muitas gestantes não fizeram corretamente o pré-natal pelo medo do contágio da covid”, destaca José Mauro, lembrando que municípios do interior também mandam pacientes para a Capital. “Em Três Lagoas, por exemplo, eles tem o Hospital da Cassems com 50% de ocupação e o município poderia contratar leitos, mas optam por demandar para Campo Grande”.


A supervisora de Enfermagem da Linha Materna e Infantil da Santa Casa, Keila Ângela Domingos, conta que muitas das mães têm diabetes gestacional e boa parte confirma que não fez todos os procedimentos que deveriam no pré-natal.

A justificativa das mães é que a pandemia tem dificultado o acesso ao atendimento. O acesso existe, mas tem que ser de qualidade. As gestações que chegam são de alto risco”, relata.

O coordenador médico da Maternidade da Santa Casa aponta outra causa para o pré-natal “mal feito”, que acaba gerando recém- nascidos e mães com problemas de saúde não tratados, superlotando as UTIs neonatais.

Segundo William, o número de bebês prematuros na Capital subiu de 18% para 21%, em 2021, sendo que a média nacional é 12%.

“A abertura de novos leitos são medidas de curto prazo. A longo prazo, precisamos evitar que esses bebês e as mães fiquem doentes e isso passa por um pré-natal adequado, educação de famílias e dos profissionais. Muitos profissionais que atendem a gestante na atenção básica, infelizmente, não têm a capacitação adequada. A maioria é de recém- formados sem capacitação em medicina de família e comunidade ou alguma especialidade como pediatria ou obstetrícia”, explica.

Leia Também

FOME NO BRASIL SUPERA MEDIA GLOBAL
Fome no Brasil supera média global e atinge mais as crianças
COBERTORES PARA CAMPO GRANDE
Governo do Estado entrega mais de 14 mil cobertores para Campo Grande que promete entrega imediata
FRIO INTENSO NOVA FRENTE FRIA
Frio tá só começando, nova frente fria está prevista para semana que vem, veja a previsão
ONÇAS DO PANTANAL ENVENENADAS
Onças mortas no Pantanal foram envenenadas com agrotóxico proibido no Brasil
FOTO: ARQUIVO FAMILIAR FÁTIMA DO SUL DE LUTO
Fátima do Sul se despede de Adalgisa Kintschev, família informa horário do velório
MAUS TRATOS EM ASILO
Polícia investiga supostos maus-tratos em asilo de MS com idosos presos a cadeiras de rodas
COVID-19 NO MS VOLTOU A SUBIR
Casos de covid voltam a subir, mas procura por doses de reforço da vacina cai 63% em MS
LIÇÕES DA BIBLIA
O enganador enganado
AQUEÇA UMA VIDA
Jateí e 35 municípios do MS vão receber cobertores doados pelo Governo Reinaldo Azambuja
COVID 19 FIM DE EMERGÊNCIA
Covid-19: Mato Grosso do Sul decreta fim da Emergência de Saúde Pública