Menu
SADER_FULL
domingo, 23 de janeiro de 2022
Busca
NOVO AUXILIO

Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250

Benefício, segundo o presidente, deve ser pago por quatro meses

26 Fev 2021 - 08h27Por Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (25), durante sua live semanal nas redes sociais, que o valor do novo auxílio emergencial a ser proposto pelo governo será de R$ 250. O benefício, segundo ele, deve começar a ser pago ainda em março, por um período total de quatro meses.

" A princípio, o que deve ser feito? A partir de março, por quatro meses, R$ 250 de auxílio emergencial. Então é isso que está sendo disponibilizado, está sendo conversado ainda, em especial, com os presidentes da Câmara [Arthur Lira (PP-AL)] e do Senado [Rodrigo Pacheco (DEM-MG)]. Porque a gente tem que ter certeza de que o que nós acertarmos, vai ser em conjunto".

A expectativa, segundo o presidente, é que os quatros meses complementares de auxílio possam fazer a "economia pegar de vez". "Nossa capacidade de endividamento está, acredito, no limite. Mais quatro meses pra ver se a economia pega de vez, pega pra valer", afirmou.

O novo auxílio emergencial deve substituir o auxílio pago ao longo do ano passado, como forma de conter os efeitos da pandemia de covid-19 sobre a população mais pobre e os trabalhadores informais.

Inicialmente, o auxílio emergencial, em 2020, contou com parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil (no caso de mães chefes de família), por mês, para cada beneficiário. Projetado para durar três meses, o benefício foi estendido para um total de cinco parcelas.

Em setembro do ano passado, foi liberado o Auxílio Emergencial Extensão, de R$ 300 (R$ 600 para as mães chefes de família), com o pagamento de quatro parcelas mensais. O último pagamento do benefício ocorreu no final de janeiro. Cerca de 67 milhões de pessoas foram contempladas com o programa.

A renovação do benefício ainda precisa ser proposta pelo governo ao Congresso Nacional e, em seguida, aprovada pelos parlamentares.

Bares e restaurantes

Durante a live, Bolsonaro também anunciou que o governo deve lançar em breve um programa de adiamento, refinanciamento e parcelamento de impostos e contribuições tributárias (Refis) para o setor de bares e restaurantes.

"Está na iminência de publicar o Refis do pessoal aí dos bares e restaurantes, que estão numa situação bastante complicada", afirmou o presidente.

Com mais de 1 milhão de estabelecimentos em todo o país, que empregam cerca de 6 milhões de pessoas, o setor de bares e restaurantes diz que houve queda de 70% nas vendas ao longo do ano passado.

Leia Também

VALE GÁS VALE-GÁS
Inscrição no Vale-Gás Nacional de R$52: Veja como se matricular
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo alcança mais famílias com ampliação de 25% nos repasses para a assistência social em MS
Foto: Edemir Rodrigues CONTA DE LUZ ZERO
Conta de energia de 152 mil famílias são pagas pelo governo de MS através do programa Energia Social
Foto: Edemir Rodrigues/Arquivo AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Semagro estimula implantação de frigorífico para processamento de peixe em Inocência
FOTO: SUBCOM AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Para ampliar investimentos na fronteira, Governo vai construir novas pontes em Porto Murtinho
UNIGRAN BORA TRABALHAR NA UNIGRAN
UNIGRAN contrata profissionais de diferentes áreas, confira
TECNOLOGIA
Governo prevê demanda maior por tecnologia e inovação para manter crescimento
RECURSO ECOLÓGICO
Ações e investimentos ambientais ajudam a aumentar a receita de Jatei e outros municípios de MS
MS FORTE
Tesouro Nacional classifica MS entre as melhores gestões do País
(Foto: Agência Brasil) SORTUDOS DO MS
Ganhadores de MS acertam a quina e levam prêmio de R$ 38 mil