Menu
SADER_FULL
quarta, 19 de janeiro de 2022
Busca
TRAGÉDIA

Passagem de tufão deixa 375 de mortos e 500 pessoas feridas

De acordo com a polícia, ao menos 500 pessoas ficaram feridas e 56 desapareceram depois que o tufão Rai varreu o sul e o centro do arquipélago

20 Dez 2021 - 13h01Por R7.com

Pelo menos 375 pessoas morreram na passagem do Rai pelas Filipinas, um dos tufões mais letais a atingir o país nos últimos anos, enquanto prosseguem os esforçlos para levar alimentos e água às ilhas devastadas. 

De acordo com a polícia, ao menos 500 pessoas ficaram feridas e 56 desapareceram depois que o tufão Rai varreu o sul e o centro do arquipélago.

A Cruz Vermelha filipina relatou um "desastre total" nas áreas costeiras atingidas pelo Rai, com casas, hospitais e escolas "destruídos".  

Mais de 300 mil pessoas abandonaram suas casas e hotéis de praia. Várias áreas ficaram sem comunicação e sem energia elétrica, enquanto em outros lugares telhados foram arrancados, e postes de luz, derrubados. 

"Nossa situação é desesperadora", declarou Ferry Asuncion, vendedor da cidade de Surigao, devastada pela tempestade.

Arthur Yap, governador da ilha de Bohol, um popular destino turístico, informou que a localidade registrou 80 vítimas fatais.

Nas ilhas Dinagat, o porta-voz da delegação provincial, Jeffrey Crisostomo, disse à AFP que o balanço subiu para 10 mortes.

O balanço total de mortes no país devido ao tufão pode aumentar, à medida que as agências governamentais avaliem a dimensão do desastre. 

O Rai atingiu as Filipinas na última quinta-feira (17) com ventos de 195 km/h. Milhares de policiais, militares, agentes da Guarda Costeira e bombeiros continuam mobilizados para ajudar nas buscas e resgates nas áreas atingidas.

No último sábado (18), o tufão se afastou, avançando pelo Mar da China Meridional e, no domingo, estava ao largo da costa do Vietnã, movendo-se para o norte. 

Retroescavadeiras e tratores foram usados para ajudar a desobstruir estradas bloqueadas pela queda de postes e árvores.

Uma avaliação aérea dos danos ao norte de Bohol deixou "muito claro" que as pessoas sofreram muito em termos de casas destruídas e perdas agrícolas, disse Arthur Yap, governador de Bohol. Ele declarou estado de emergência na ilha. O tufão também causou destruição generalizada nas ilhas de Siargao, Dinagat e Mindanao. 

Os ventos do Rai caíram para 150 km/h, enquanto o tufão avança pelo país em chuvas torrenciais, arrancando árvores e destruindo estruturas de madeira. 

A governadora de Dinagat, Arlene Bag-ao, disse no sábado que os danos à ilha "são uma lembrança, igual ou pior", da destruição causada pelo supertufão Haiyan, em 2013. 

Haiyan é o ciclone mais mortal já registrado nas Filipinas, com mais de 7.300 pessoas mortas, ou desaparecidas.

Leia Também

# VAMOS PREVENIR
Fátima do Sul registra 01 morte e 11 no MS por covid e influenza, nas últimas 24 horas -
BAIXA RENDA
Auxílio Gás: governo libera o pagamento no valor de R$ 52
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem um aumento e registra 351 mortes em 24 horas
EFICIENCIA
Com logística ágil, vacinas chegam em tempo recorde em Fátima do Sul e 78 municípios do Estado
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com obra do Governo do Estado, Cachoeirão se prepara para novo ciclo do turismo
DOAÇÃO DE SANGUE
Doações de sangue aumentam na Rede Hemosul, mas 2022 já apresenta dificuldades
SEGURANÇA PÚBLICA
Feminicídios reduzem 83,3% em Campo Grande, aponta Secretaria de Justiça e Segurança Pública
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
Com 02 na UTI, casos de Covid sobem para 146 positivos em Fátima do Sul
SAÚDE MENTAL
Janeiro Branco | 5 apps para cuidar da saúde mental recomendados pelo Google
FOTO: FÁTIMA NEWS FÁTIMA DO SUL - AGORA É OBRIGATÓRIO
Uso de máscara e passaporte de vacinação para atividades aquáticas é obrigatório em Fátima do Sul