Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 21 de janeiro de 2022
Busca
ECONOMIA

Pagamento do 13º salário em dobro liberado; veja como receber

5 Dez 2021 - 12h02Por Ester Farias / Notícias e Concursos

Os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aguardam ansiosamente a liberação do pagamento do 13º salário em dobro. A proposta visa criar um novo abono extra aos aposentados, pensionistas, e beneficiários de auxílios previdenciários, como por doença, creche e reclusão.

O Projeto de Lei PL 4.367/2020 foi recentemente aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. Agora, segue para apreciação na Comissão de Finanças e Tributação.

Caso receba parecer favorável em todas as casas, o texto será encaminhado para votação no Senado Federal. Com isso, para que de fato seja liberado, ainda será necessário receber a sanção presidencial.

Quem vai receber o 13º em dobro?

O texto original é de autoria do deputado Pompeo de Mattos e há alguns dias passou por alterações. A deputada e relatora Flávia Morais incorporou a proposta o Projeto de Lei 5.641, criada pelo deputado Aureo Ribeiro. O documento define quem será contemplado pelo 13º em dobro.

Neste sentido, poderão receber o novo salário extra:

  • Aposentados;
  • Pensionistas;
  • Beneficiários do auxílio-doença;
  • Beneficiários do auxílio-creche; e
  • Beneficiários do auxílio-reclusão.

Em contrapartida, ficam de fora do abono:

  • Inscritos no Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  • Beneficiários do auxílio-suplementar por acidente de trabalho;
  • Beneficiários previdenciários por invalidez do trabalhador rural; e
  • Beneficiários da pensão vitalícia.

Quais as chances de liberação do 13º salário em dobro?

O documento reformulado pela relatora e deputada Flávia Morais, estende o tempo de duração da medida, conferindo a até o ano de 2023.

“Considerando que a proposta [original] não foi examinada em 2020, já tendo expirado o prazo de pagamento previsto, entendemos que o benefício poderá ser pago na forma prevista pelo Projeto de Lei nº 5.641, de 2020, ou seja, do ano de promulgação da proposta até 2023”, esclareceu a relatora.

Um dos fatores utilizado como justificativa para a liberação desse novo benefício é a antecipação do calendário do 13º salário do INSS em razão da pandemia da Covid-19. Isso fez (em 2020) e fará (em 2021) que milhares de segurados fiquem sem a quantia extra no final do ano.

“Nesse ano, assim como no ano passado, houve uma antecipação nas datas de pagamento do benefício. Inicialmente, a medida traz alento aos orçamentos familiares, mas, por outro lado, os recursos tão necessários no final de ano, quando ocorrem despesas extraordinárias, não mais estarão disponíveis. A concessão excepcional de parcelas do abono poderá contribuir para o aporte dos recursos necessários para as despesas de final de ano”, completou a deputada.

No que se refere a liberação da proposta, atualmente o Governo Federal está evitando novos gatos. Desta forma, é provável que o 13º em dobro não seja implementado. O foco do governo Bolsonaro neste momento são os pagamentos do Auxílio Brasil, política pública que substituirá o Bolsa Família.

Leia Também

MS FORTE
Tesouro Nacional classifica MS entre as melhores gestões do País
(Foto: Agência Brasil) SORTUDOS DO MS
Ganhadores de MS acertam a quina e levam prêmio de R$ 38 mil
Raquel dos Passos - SAD PROCESSO SELETIVO SES/AGEPEN
SAD divulga inscrições deferidas e indeferidas em processo seletivo da SES/Agepen
AÇÕES DO GOVERNO MS
MS-352: asfalto é alívio no acesso à Ponte do Grego, palco de tragédias e manifestações
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab ainda tem 916 vagas para indígenas trabalharem nas lavouras de maçãs em SC e RS
FERROESTE
De grãos a celulose, retorno da malha ferroviária vai movimentar cadeias produtivas de MS
Estimativas da safra de café de 2022 são abaixo dos resultados de 2020. Conab afirma que é reflexo das condições climáticas AGRONEGÓCIO
Conab prevê safra de café de 55,7 milhões de sacas em 2022
FÁTIMA DO SUL - MERCADO JULIFRAN
Confira as OFERTAS DA SEMANA do Mercado Julifran em Fátima do Sul
 REUTERS/Paulo Whitaker Colheita de cana-de-açúcar não deve sofrer alterações da previsão publicada em novembro de 2021 ECONOMIA
Moagem de cana no centro-sul deve atingir 565,3 milhões de toneladas em 2022/23
BAIXA RENDA
Auxílio Gás: governo libera o pagamento no valor de R$ 52