Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 16 de outubro de 2021
Busca
Economia

Moradora de Ivinhema recebe indenização por ter a luz cortada irregularmente

A indenização a ser paga é de R$ 4 mil. A conta de luz da consumidora saiu de R$ 92 para R$ 724,84, de forma irregular

2 Set 2021 - 13h32Por Sul News

A moradora de Ivinhema foi indenizada em R$ 4 mil por ter recebido fatura da conta de luz de R$ 724,84, valor que foi cobrado irregularmente pela distribuidora de energia e por ter a energia cortada pelo não pagamento da conta.

Com isso, a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul conseguiu anular o débito. A unidade consumidora dela sempre registrou um consumo de energia elétrica de 80 a 100 de Quilowatt-hora (kW/h), quantidade que corresponde à realidade da consumidora. O consumo equivale a, aproximadamente, R$ 92 por mês.

Ganhe Dinheiro Trabalhando em Casa : SAIBA MAIS AQUI 

Clica na Foto que está escrito {Pulo do Gato}

No entanto, a consumidora começou a receber faturas com valores altos, entre elas, uma no valor de R$ 727,84, correspondente a um suposto consumo de 796 kW/h, no qual, era incompatível com a média e com o padrão da residência.

A moradora chegou a acionar a concessionária para relatar o equívoco, mas não teve explicações do ocorrido. O medidor foi substituído com a alegação de “atualização tecnológica”.

Mesmo assim, a empresa insistiu na cobrança dos valores e interrompeu o fornecimento de energia elétrica sob a afirmação de que assistida não pagou o débito.

Então, a consumidora procurou a Defensoria Pública, que moveu uma ação, na qual conseguiu liminar para religar imediatamente a energia elétrica e, após o trâmite processual, foi anulado o débito e, ainda, condenou a empresa concessionária de energia elétrica ao pagamento de dano moral à assistida, pelo corte abusivo e ilegal do fornecimento.

O defensor público André Santelli Antunes ressaltou que essa foi uma prática abusiva.

"A ameaça e a interrupção do fornecimento de energia elétrica, como meio de possibilitar a cobrança de débitos que estão sendo discutidos é uma prática mais que abusiva, porque expõe os consumidores ao constrangimento, situação veemente proibida pelo Código de Defesa do Consumidor", ressaltou.

Conforme informações da Defensoria Pública, após o julgamento favorável, a concessionária de energia elétrica recorreu ao Tribunal de Justiça. Com isso, o caso passou a ser acompanhado pelo defensor público de Segunda Instância Francisco José Soares Barroso, que atuou para a manutenção da sentença favorável à assistida junto ao tribunal.

Em resposta, a Energia MS informou que, em breve, irá se posicionar sobre o assunto.

 

 

Leia Também

CARTÃO MAIS SOCIAL EM MS
Mais de 30 mil famílias carentes já tiveram acesso ao cartão do "Mais Social"
SAD CONCURSO DA POLÍCIA CIVIL
SAD define banca organizadora do concurso da Polícia Civil
SANESUL CONCURSO PÚBLICO - SANESUL
De Biólogo a Psicólogo, faça sua inscrição aqui para o concurso da Sanesul com 74 vagas
João Prestes, Semagro ICMS ECOLÓGICO
Definidos os índices provisórios do ICMS Ecológico, que em 2022 vai contemplar 77 municípios
BRASIL VERDE
Governadores avançam na criação de consórcio em defesa do desenvolvimento sustentável
COLONIA PENAL
De sistema hidráulico a troca de telhado, celas do semiaberto de Três Lagoas ganham reforma geral
AÇÕES DO GOVERNO MS
MS +Esporte: Governo do Estado anuncia mais de R$ 120 milhões em investimentos no esporte
CONCURSO PÚBLICO
UEMS está com inscrições abertas em concurso público para docente de Medicina
MS 44 ANOS
Investimentos em infraestrutura abrem novos caminhos de produção e torna MS competitivo
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Quase 800 oportunidades de emprego estão disponíveis na Funtrab/MS