Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 22 de outubro de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
MS 44 ANOS

Em Mato Grosso do Sul, combate à pandemia vai deixar legado de infraestrutura na Saúde

O enfrentamento à Covid-19 exigiu do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Saúde, ações rápidas que pudessem monitorar e controlar um inimigo invisível como o coronavírus.

12 Out 2021 - 06h48Por Portal do MS

O enfrentamento à Covid-19 exigiu do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Saúde, ações rápidas que pudessem monitorar e controlar um inimigo invisível como o coronavírus. Com investimentos arrojados que foram aplicados na qualificação e contratação de profissionais, bem como aquisição de equipamentos e aberturas de leitos, além do desenvolvimento de estratégias exitosas - como a distribuição da vacina -, o Estado adquiriu expertise que já repercute de forma positiva com a estabilização da doença. Assim, o Estado deixa um legado de infraestrutura nos serviços de saúde de Mato Grosso do Sul.

Alcançar a disponibilidade de leitos foi o principal desafio encontrado pelo Estado durante a pandemia do coronavírus, sendo necessário ampliar o atendimento especializado para outros municípios. Antes, o Estado contava com apenas seis municípios com atendimento especializado e, durante a pandemia, a oferta do serviço de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do Sistema Único de Saúde (SUS) foi ampliado, totalizando 15 cidades : Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Ponta Porã, Três Lagoas, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Costa Rica, Coxim, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba e Sidrolândia. O Estado ainda encaminhou equipamentos necessários para a instalação do serviço e ofereceu treinamento aos profissionais de saúde de cada município.

Referência no tratamento da Covid-19, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul também foi um dos principais destaques neste enfrentamento à Covid-19 no Estado. Foram criados 86 novos leitos durante o período pandêmico - de 39 para 125 leitos críticos. Também foi realizada a contratação de mais de 880 funcionários para o atendimento a pacientes: enfermeiros, técnicos, médicos e residentes engrossaram o corpo clínico do hospital. Os colaboradores também sentiram a pandemia: 726 foram testados positivos para a Covid-19 e oito foram a óbito. O HRMS registrou a menor taxa de letalidade em suas UTIs Covid, sendo menor que a média nacional, tanto para hospitais particulares, quanto para hospitais públicos.

Entre as estratégias exitosas está o sistema Drive-Thru que, inicialmente, era utilizado para dar agilidade na realização da coleta de exames conhecido como ‘padrão ouro’ – o RT-PCR - contra a Covid-19. Devido à redução de casos, a demanda foi absorvida pelos municípios que passaram a ofertar o serviço nas unidades de saúde. Com a expertise adquirida, foi criado o Drive-Thru da Vacinação, que tem auxiliado o Estado a permanecer nas primeiras posições na vacinação contra a Covid-19.

O pagamento de incentivo financeiro aos municípios foi outro ponto que impulsionou o resultado positivo da vacinação no Estado. Com as duas novas resoluções publicadas no último dia 5, o Governo do Estado ampliou o valor total do incentivo que era de R$ 5.899.727,40 passou a ser de $ 17.886.884,40.

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, lembra que Mato Grosso do Sul se tornou exemplo para o país no desenvolvimento de ações estratégicas para o enfrentamento à Covid-19. “O Estado demonstrou toda a sua eficiência nas ações de enfrentamento à Covid-19. Mostrou que teve capacidade de distribuir as vacinas em até 12 horas para os 79 municípios, se tornou líder na vacinação nacional. Tudo isso aconteceu graças ao apoio e colaboração de diversos segmentos, desde a iniciativa privada, como a Fiems, até aos municípios, para que chegássemos a esses índices de excelência. Tenho certeza que seremos o primeiro Estado a sair desta pandemia”.

Continue se cuidando

Mesmo com a estabilidade e redução de casos que Mato Grosso do Sul tem registrado, não é o momento de abrir mão das medidas de biossegurança, considerando que há a presença de variantes, como a Delta. Por isso, é importante que mesmo imunizado ou vacinado, qualquer pessoa está suscetível a nova contaminação e pode transmiti-la a outras pessoas.

Assim, a recomendação que a Secretaria de Estado de Saúde faz é para continuar com as medidas de biossegurança como: uso de máscara corretamente (cobrindo o nariz e a boca e bem ajustada); distanciamento físico (1,5 metro); higienização frequente das mãos (com álcool líquido ou em gel 70%, ou com água e sabão); evitar aglomerações; não compartilhar objetos de uso pessoal; desinfecção de superfícies e objetos; evitar circulação desnecessária em locais públicos.

Rodson Lima, SES

Foto do destaque: Chico Ribeiro

Leia Também

ALERTA DE TEMPESTADE
Ao vivo: Corpo de Bombeiros fala sobre plano de prevenção para tempestade prevista no fim de semana
Cardápio Casa dos assados (5) 1   Cópia CASA DOS ASSADOS
Neste domingo saboreie as delicias da Casa dos Assados em Fátima do Sul
VACINAÇÃO
Para segurança e retomada da economia, MS já disponibilizou 1,4 milhão de vacinas para trabalhadores
ALERTA TEMPORAIS
Cuidado: nova tempestade de areia pode chegar no domingo a MS
VACINAÇÃO
Estudo sobre a Janssen na região de fronteira mostra efic. de 50% da vacina e red. de 90% em óbitos
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
MIGRANTES NO MS
Governo lança novo sistema para melhorar atendimento aos migrantes que buscam vida nova no MS
ESTABELECIMENTO PENAL
Mais amplo, novo setor de saúde garante maior assistência a reeducandas do semiaberto da Capital
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
MARCO HISTÓRICO
Mato Grosso do Sul completa cinco dias sem mortes por covid-19