Menu
BANNER IMPRESSORAS
quinta, 7 de julho de 2022
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AÇÕES DO GOVERNO DE MS

Com 60% da obra já executada, Hospital Regional de Dourados deve ser entregue até o final do ano

3 Mai 2022 - 19h48Por Texto e foto: Ricardo Minella, SES

Com previsão de entrega para o final deste ano, as obras do Hospital Regional de Dourados, às margens da Rodovia BR-463, estão em ritmo normal e já atingem mais de 60% executadas. A afirmação é da engenheira Viviane Macedo Carbonaro, da empresa Engepar, responsável técnica pelo projeto.

Segundo a engenheira, o hospital encontra-se em fase de acabamento, com toda a parte estrutural e de infraestrutura já concluída. Estão em andamento a instalação das portas internas, revestimentos cerâmicos, pedras de granito, pintura, instalações de aparelhos de ar condicionado e outras instalações. “Contamos com cerca de 100 funcionários, número este que aumenta conforme ocorre a liberação de mais frentes de trabalho”, explica.

O percentual executado, ainda de acordo com a engenheira, abrange os blocos A, B e C. Esses blocos são correspondentes à primeira e a segunda etapas do hospital, que deverá ainda ser composto pela terceira etapa, com os blocos D e E.

O hospital está sendo construído pelo Governo do Estado e será uma unidade de alta complexidade, com leitos e serviços disponíveis à população da Região da Grande Dourados, composta por 33 municípios. No total, vai ofertar 210 leitos, entre clínicos, de UTI’s adulto, neonatal e pediátricos, numa área 10.706 metros quadrados.

O complexo ofertará, entre outros serviços e estruturas, enfermaria masculina e feminina, unidades de terapia intensiva, isolamentos, leitos de observação adulto, centro cirúrgico e obstétrico, farmácia, unidade de nutrição, anexo de serviços, pronto atendimento e observação de isolamento, recuperação e pós-anestésica.

Na primeira etapa do hospital, a capacidade será de 51 leitos de enfermaria, 10 leitos de UTI Adulto e 10 de UTI Pediátrica, totalizando 71 leitos. Na segunda, estão previstos 29 leitos de enfermaria. Na terceira, a previsão é de 90 leitos de enfermaria e 20 de UTI Adulto, num total de 210 leitos, nas três etapas.

Recursos

A construção demandará um investimento de R$ 41.132.193,18 com recursos federais e estaduais. Na primeira e na segunda etapas o investimento previsto é de R$ 30,7 milhões, dos quais R$ 20,2 milhões são recursos federais e R$ 10,5 milhões são referentes às contrapartidas do Governo do Estado.

Dos R$ 20,2 em recursos federais investidos na primeira e na segunda etapas, R$ 15,7 milhões foram viabilizados pelo ex-secretário estadual de Saúde Geraldo Resende, ainda no exercício do mandato de deputado federal; R$ 4,4 milhões foram indicados pelo atual deputado estadual Marçal Filho, no exercício do mandato de deputado federal.  Os recursos estaduais, nessas duas fases, somam R$ 10.539.103,00.

Já na terceira etapa, cujos projetos estão em fase final de elaboração para serem encaminhados para aprovação da Caixa Econômica Federal, a previsão de investimentos é R$ 10.373.100,00. Deste total, R$ 9.999.084,00 serão de recursos federais oriundos do Ministério da Saúde e R$ 374.016,00 serão da contrapartida estadual.

“Estamos dando seguimento ao proposto pelo governador Reinaldo Azambuja desde o primeiro dia de seu mandato, que é o de regionalizar a saúde, tornando-a de mais fácil acesso e com mais qualidade aos usuários do SUS”, destaca o secretário estadual de Saúde Flávio Britto.

Centros de Diagnóstico e de Especialidades

Em área anexa ao futuro Hospital Regional de Dourados, estão sendo construídas, desde o início de fevereiro deste ano, duas estruturas que vão transformar o local num complexo hospitalar e de serviços em saúde para a população regional. Um deles é o Centro de Diagnóstico Médico e o outro, o Centro de Especialidades Médicas, que vão demandar investimentos, na construção da obra física, de R$ 13.436.753,50.

Na parte de diagnósticos, a estrutura contará com aparelhos e equipamentos de última geração, com exames de tomografia computadorizada, ressonância nuclear magnética, ultrassonografia, endoscopia e colonoscopia, Raios-X digital, dopplervelocimetria (exame não invasivo utilizado para estudo da circulação fetal em diversas situações clínicas), laboratório de análises clínicas, teste ergométrico, holter 24h, eletroencefalograma, eletrocardiograma e densitometria óssea.

O centro de especialidades médicas terá perfil ambulatorial, de caráter regionalizado, inserido na rede de Serviços do SUS – Sistema Único de Saúde. A unidade deverá ter espaços para as consultas especializadas e procedimentos ambulatoriais, tais como endoscopia digestiva alta, colonoscopia e broncoscopia, entre outros.

Para viabilizar o Centro de Diagnóstico Médico, o ex-secretário Geraldo Resende garantiu, enquanto deputado federal, uma emenda de R$ 3.390.269,00, a qual, somada à contrapartida do governo do Estado, de R$ 4.521.628,75, totalizará um investimento de R$ 7.911.897,75

O custo da construção do Centro de Especialidades Médicas, por sua vez, será R$ 5.524.855,77. Desse valor, R$ 3.499.812,00 são oriundos de emenda parlamentar federal indicada por Geraldo Resende, e R$ 2.025.043,77 será a contrapartida do governo estadual.

Leia Também

VAZIO SANITÁRIO
Plantio da soja em Mato Grosso do Sul segue proibido até o dia 15 de setembro
COVID-19 NO MS
MS confirma mais 19 óbitos por covid, a maioria em Campo Grande
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
AGEMS inicia a inédita fiscalização da inspeção de segurança veicular e será referência no Brasil
MORTE A ESCLARECER
Homem morre de hemorragia após vidro de porta atingir artéria em Rio Brilhante
LIÇÕES DA BIBLIA
Crisóis do pecado
(Fotos: Ranziel Oliveira) FATALIDADE
Rapaz de 22 anos morre engasgado com uva na frente da mãe em MS
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 158 óbitos e 37.784 casos em 24 horas
LIÇÕES DA BIBLIA
Surpresas
LUTO NA MÚSICA
Eduardo, dupla de Henrique, morre em acidente de carro em MS
HORTAS SOCIAIS
Hortas sociais instaladas por detentos de Jardim transformam realidade de escolas