Menu
SADER_FULL
quinta, 4 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AÇÕES DO GOVERNO DO MS

MS e PR assinam convênio para estudo de viabilidade de corredor ferroviário de exportação

MS e PR assinam convênio para estudo de viabilidade de corredor ferroviário de exportação

19 Ago 2020 - 17h46Por Paulo Fernandes, Subcom

Chamado de um acordo histórico pelos dois governadores, Reinaldo Azambuja (MS) e Carlos Roberto Massa Ratinho Junior (PR) assinaram um convênio nesta quarta-feira (19), na sede do Poder Executivo em Mato Grosso do Sul, para contratação do Estudo de Viabilidade Econômica e Ambiental (Evetea) para a construção do Corredor Oeste de Exportação - Nova Ferroeste. 

Com projeção estimada de 1.370 quilômetros, o corredor fará a ligação ferroviária de Mato Grosso do Sul ao porto de Paranaguá, no Paraná. A intenção é a construção de uma nova ferrovia entre Maracaju e Cascavel (PR), revitalização do trecho ferroviário de Cascavel a Guarapuava (PR) e construções de uma nova ferrovia entre Guarapuava e Paranaguá (PR) e de um ramal entre Cascavel e Foz do Iguaçu (PR).

O governador paranaense explicou que a intenção é criar esse corredor com investimento privado. O Governo do Paraná já solicitou apoio do Governo Federal ao processo de desestatização da empresa estadual Estrada de Ferro Paraná Oeste (Ferroeste) com o objetivo de atender o setor produtivo dos dois estados, aumentar a eficiência do setor, incrementar as exportações, ampliar o número de empregos diretos e indiretos e melhorar a qualificação dos postos de trabalho. 

“Hoje estamos protocolando um grupo de trabalho em conjunto, o time de Mato Grosso do Sul com o time nosso do Paraná, e já assinamos hoje a contratação da empresa que vai fazer o Evetea, que é o estudo de viabilidade técnica que dá o traçado mais adequado, ambientalmente mais correto e que é mais eficiente. Então, essa é a base para que a gente possa preparar a ferrovia Ferroeste e colocar na Bolsa de Valores”, afirmou Ratinho Junior. 

Já Reinaldo Azambuja destacou que praticamente 95% da produção de Mato Grosso do Sul é transportada por rodovias, um modal que gera mais gasto com o transporte. “Chega ao porto, mas chega em um custo muito maior do que pelo transporte ferroviário. Quando a gente interliga Mato Grosso do Sul ao Paraná e ao porto de Paranaguá, 1.350 quilômetros de ferrovia, nós damos competitividade aos produtos. A gente se torna mais competitivo, tanto para exportar como nas importações também porque somos importadores, principalmente de fertilizantes e alguns insumos”, disse.

O sul-mato-grossense disse ainda que a nova rodovia irá fazer uma conexão com a Malha Oeste em Maracaju, abrindo um novo canal de escoamento de soja, etanol e outros produtos até o Porto de Paranaguá. “Você diminui o custo de produção, aumenta a competitividade do setor produtivo, amplia a possibilidade de um transporte e cria uma conexão. Por que Maracaju? Porque Maracaju é conexão com a Malha Oeste. Governo Federal vai relicitar a Malha Oeste. Vão fazer uma relicitação de Bauru a Corumbá, com ramal Campo Grande - Maracaju - Ponta Porã. Vamos ter um modal ferroviário interligando os nossos estados com a possibilidade das cargas do Paraná adentrarem a Mato Grosso do Sul e vice-versa. Isso é dinâmico”.

Na quarta-feira (18), Reinaldo Azambuja pediu ao presidente Jair Bolsonaro urgência na revitalização urgente da Malha Oeste e explicou a importância do investimento para a integração da América Latina. "Se nós sairmos daqui, presidente, de Corumbá, o senhor chega a Cochabamba, no país vizinho, com a ferrovia implantada e estabelecida. É possível acessar os portos chilenos, então nós teríamos com a revitalização da Malha Oeste a primeira e viabilizada integração sul-americana de Atlântico e Pacífico e com certeza uma grande capacidade de desenvolvimento social e de geração de oportunidade ao Brasil e, principalmente, ao Centro-oeste brasileiro, tornando nossos produtos competitivos aos mercados internacionais".

Para evitar aglomerações, o evento desta quarta-feira contou com um sistema de videoconferência com o Palácio Iguaçu, sede do governo paranaense, onde estava o vice-governador Darci Piana, e com Brasília, com a participação de equipe do Governo Federal. Participaram do evento na Sala de Reuniões os secretários Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica) e Jaime Teixeira (Semagro) e o assessor de logística Lúcio Lagemann, por Mato Grosso do Sul; o secretário Sandro Alex (Infraestrutura e Logística), e o coordenador do grupo de trabalho do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes, pelo Paraná.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SITUAÇÃO INCONTROLÁVEL
Cidades de MS discutem lockdown, mas Geraldo pede mais prazo
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
JBS anuncia 154 vagas de emprego para unidades de Dourados e Ponta Porã
ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA
Sexto lote de vacinas, com 27,8 mil doses, chega a Mato Grosso do Sul
PREOCUPANTE
MS registra 91% dos leitos públicos de UTI para Covid-19 ocupados, aponta secretaria de Saúde
CONCURSO PÚBLICO
Reinaldo Azambuja autoriza concurso público com 250 vagas para Polícia Civil
AÇÕES DO DEPUTADO BARBOSINHA
Barbosinha pede ação emergencial para conter abuso das taxas cartorárias no Estado
NOVA ELEIÇÃO
Sidrolândia terá nova eleição para prefeito, decide Tribunal Superior Eleitoral
200TÃO
Estado de MS vai ter programa próprio de auxílio emergencial
ENERGIA SOLAR
Parceria capacita pessoas de baixa renda para atuarem no promissor mercado da energia solar
IMPOSTO DE RENDA
Servidores estaduais já podem emitir Informe de Rendimentos 2020