Menu
SADER_FULL
sexta, 5 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
JORNADA DE 08H MANTIDA

Decisão do TJ mantém atendimento de 8h à população nos órgãos estaduais

Decisão do TJ mantém atendimento de 8h à população nos órgãos estaduais

11 Jul 2019 - 17h17Por Paulo Yafusso

A jornada de trabalho dos servidores estaduais está mantida em 8 horas diárias, com a decisão proferida na tarde desta quinta-feira (11.7) pelo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), desembargador Paschoal Carmello Leandro, suspendendo a liminar que permitia a jornada de 6 horas/dia.

O pedido de suspensão da liminar foi feito pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE), sob o argumento de que o expediente de 6 horas diárias pelos servidores acarretaria “irreparável e gravíssima lesão à ordem administrativa e econômica”. Pesquisa realizada pelo Ibrape no início do ano, mostrou que 93% da população do Estado quer o retorno do expediente de 8h nos órgãos estaduais.

Em seu despacho, o desembargador Pascoal Carmello Leandro enfatiza que a suspensão do Decreto que retomou a jornada normal dos servidores estaduais, de 40 horas semanais, “acarreta grave lesão à ordem administrativa, na medida em que afeta sobremaneira o funcionamento da máquina estatal, que se adequou para possibilitar o atendimento à população em período integral, em observância ao princípio da eficiência”.

Destaca ainda, que a manutenção da liminar que reduzia a jornada de trabalho no serviço público estadual para 6 horas/dia traria abalo à ordem econômica e lesão à economia pública, “pois a redução da jornada de trabalho demandará a necessidade de novas contratações, importando em aumento com despesas de pessoal”.

Estudo feito pelo Governo do Estado apontou que o retorno à jornada de 8 horas no Estado, além de melhorar o atendimento à população, traria economia à administração. A estimativa é de que deixaria de se gastar cerca de R$ 20 milhões por ano, só com os plantões e horas extras pagas com o expediente de 6 horas/dia. Se somados com os custos de contratação de 4 mil servidores, a economia potencial chegaria a pelo menos R$ 130 milhões com salários, todos os anos. A retomada do expediente integral afetou 32,5% dos servidores – cerca de 16 mil.

Além de se preocupar em melhorar a eficiência do serviço prestado à população com o Decreto que retomou a jornada normal de trabalho, a administração estadual adotou todas as medidas para garantir a transição tranquila. Viabilizou a adequação do sistema de transporte coletivo no Parque dos Poderes e atendeu o pedido das lideranças sindicais do funcionalismo, para que a retomada da jornada normal tivesse início em julho, período de férias escolares, para que os trabalhadores pudessem ter tempo de adequar a sua rotina. Inicialmente, a mudança no horário começaria em abril deste ano.

A liminar que trata da jornada de 6 horas diárias havia sido concedida pelo desembargador Ruy Celso Florence no início da semana, atendendo a pedido feito por um grupo de Sindicatos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VOLTA ÀS AULAS NO MS
Governo ainda não tem previsão se vai voltar com aulas presenciais em MS
CORONAVIRUS
Enfermeira paraguaia que mora em MS já infectou três médicos paraguaios
RESGATE
Bombeiros do MS fazem resgate de brasileiro com covid-19 na Bolívia; paciente está na UTI
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
Fátima do Sul tem 134 casos suspeitos, Confira o mapeamento de onde estão os 143 confirmados
MAL SUBITO
Filho de vereadora passa mal e morre durante partida de futebol em MS
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
Fátima do Sul registra mais 05 nas últimas 24h, MS mais 72 e números começam a preocupar
PREVENÇÃO COVID 19
JBS adota protocolo para proteção dos colaboradores contra o coronavírus
MS - 21 MORTES
Secretaria de Estado de Saúde informa 21º óbito por coronavírus em Mato Grosso do Sul
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Investimentos do MS em Saúde não perdem fôlego e obras são autorizadas em hospital de Bodoquena
DINHEIRO NA CONTA
Mais de 79 mil servidores já podem sacar pagamento de maio