Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 5 de dezembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Entidade pediu desistência de ações

Portuguesa diz que levará contrato de adiantamento da CBF ao MP

Clube paulista está decidido levar o caso ao Ministério Público

20 Jan 2014 - 15h30Por Uol

Ao receber a proposta da CBF pedindo a desistência de ações visando reverter a decisão do STJD que rebaixou a Portuguesa, em troca de um adiantamento de R$ 4 milhões em receitas, o clube paulista já havia decidido levar o caso ao Ministério Público. De acordo com o vice-presidente jurídico, Orlando Cordeiro de Barros, a decisão havia sido tomada antes da divulgação do documento pela emissora ESPN Brasil.

"Eu não sei como vazou essa informação, não era para vazar porque, na quarta-feira agora, vou denunciar o documento que a Portuguesa recebeu da CBF no Ministério Público. É para haver investigação, não era para vazar" afirmou Barros ao UOL Esporte.

O dirigente revelou que a iniciativa de pedir adiantamento de receitas partiu da própria Portuguesa, para sanar as finanças do clube, em uma prática corriqueira do futebol brasileiro. Afirmou também que o ex-presidente Manuel da Lupa já havia antecipado parte das verbas. Os R$ 4 milhões oferecidos pela CBF, entretanto, foram contestados, e o condicionamento do acordo à desistência de ações judiciais foi recebido como uma afronta pela cúpula lusitana.

"A Portuguesa tem uma dívida de R$ 170 milhões. Como um clube vai pedir empréstimo de R$ 4 milhões? Isso não resolve. O que a Portuguesa pediu, via Federação Paulista, foi a antecipação das cotas do Brasileiro da Série A ou B e do Paulistão. O que o Ilidio (Lico, presidente do clube) fez foi isso, porque a metade da cota o antigo presidente havia sacado. Nossas despesas são grandes, foi isso que aconteceu. Na quarta-feira envio o documento ao Ministério Público", disse.

A Portuguesa foi punida com a perda de quatro pontos no Brasileirão por ter escalado o meia Heverton de forma irregular na partida contra o Grêmio. A decisão, tomada pelo STJD de forma unânime, rebaixou o clube paulista, e beneficiou o Fluminense, que acabaria permanecendo na elite do futebol brasileiro.

Revoltados, torcedores recorreram à Justiça Comum. No Rio de Janeiro, a decisão foi pela manutenção dos pontos, mas em São Paulo, a 42ª Vara Cível concedeu liminar obrigando a CBF a devolver os pontos tirados da Portuguesa. A decisão criou um conflito entre as Justiças Estaduais, e indefinição sobre os clubes que irão participar da edição de 2014 do Campeonato Brasileiro. 

O promotor Roberto Senise, do Ministério Público de São Paulo, já abriu inquérito e está investigando o caso, para verificar se houve alguma ilegalidade na atuação da CBF e do STJD durante o julgamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO MS
Novo projeto de lei da Bolsa Atleta terá primeira votação nesta quinta-feira na Assemb. Legislativa
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Conselho do PPI qualifica relicitação das concessões da Malha Oeste e da BR-163
COPA DE 94
'Bebê do Tetra', na Copa de 94, filho do jogador Bebeto é pai pela primeira vez
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em Caarapó, Reinaldo Azambuja inaugura indústria com 300 empregos e entrega reforma de escola
DEMITIDO
Funcionário de funerária é demitido por tirar foto com o corpo de Maradona
100 COPINHA
FPF anuncia o cancelamento da Copa São Paulo Junior de 2021
LUTO NA TV
Fernando Vannucci, apresentador, morre aos 69 anos em São Paulo
FATIMASSULENSES DESTAQUES
Fatimassulenses ficam em 3º e 4º lugares na 3ª Maratona Mountain Bike MTB Nova Alvorada do Sul
ELIMINATÓRIAS
Brasil vence Uruguai e segue 100% nas eliminatórias da Copa do Mundo
FUTEBOL
Filho de Eliza Samudio e Bruno joga como goleiro em escolinha de MS