Menu
SADER_FULL
quinta, 3 de dezembro de 2020
SADER_FULL
Busca
CIA DO BICHO
violência no brasileirão

MP culpa Atlético-PR por briga entre torcedores: 'o clube assumiu o risco'

9 Dez 2013 - 17h00Por Folha

O promotor Francisco de Paula Fernandes Neto responsabilizou, nesta segunda-feira, o Atlético-PR pela briga generalizada na arquibancada da arena Joinville, domingo, pelo Brasileirão. O representante do Ministério Público de Santa Catarina diz que o clube paranaense, mandante do jogo, não ofereceu serviço de segurança capaz de evitar violência entre torcedores.

"A responsabilidade é de quem organiza o evento", disse Francisco Neto ao jornal Estadão.

O promotor negou que o MP tivesse impedido a presença de policiais militares dentro do estádio catarinense, alegando se tratar de um evento privado. Francisco Neto informa que houve erro de interpretação.

"A segurança deste eventos é encargo do promotor do evento. Se ele vai fazer segurança com segurança privado, que faça. O Atlético assumiu o risco, foi uma fatalidade. Contratou gente que não tem experiência nisso, que não pôde fazer frente à demanda", acrescentou.

Quatro torcedores foram internados no domingo. Dois deles receberam alta nesta segunda.

O episódio de violência em Joinville terminou com três detidos para averiguação - que foram para presídio na madrugada desta segunda, de acordo com a Polícia de Santa Catarina.

O Atlético-PR soltou uma nota oficial na madrugada desta segunda em que se prontifica a auxiliar na identificação dos torcedores envolvidos na briga. O clube não se posicionou oficialmente em relação à declaração do promotor público.

De acordo com a Mazari Segurança, havia 20 homens da empresa na arquibancada para a divisão de torcidas. A empresa diz que em jogos do Joinville os efetivos contratados são maiores e chegam a 90 homens da empresa. 

Em contato com o UOL Esporte, a empresa de segurança Mazari, contratada pelo Atlético-PR para fazer a segurança do local, se isentou de qualquer culpa pela briga de torcidas. A Mazari diz ter advertido o time paranaense de que o número de homens pedido foi baixo.

A Polícia Militar, por sua vez, disse que a segurança contratada pelo Atlético-PR era despreparada. A PM acrescenta que foi impedida de entrar no estádio em razão de uma ação do MP (negada pelo promotor público).

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Conselho do PPI qualifica relicitação das concessões da Malha Oeste e da BR-163
COPA DE 94
'Bebê do Tetra', na Copa de 94, filho do jogador Bebeto é pai pela primeira vez
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em Caarapó, Reinaldo Azambuja inaugura indústria com 300 empregos e entrega reforma de escola
DEMITIDO
Funcionário de funerária é demitido por tirar foto com o corpo de Maradona
100 COPINHA
FPF anuncia o cancelamento da Copa São Paulo Junior de 2021
LUTO NA TV
Fernando Vannucci, apresentador, morre aos 69 anos em São Paulo
FATIMASSULENSES DESTAQUES
Fatimassulenses ficam em 3º e 4º lugares na 3ª Maratona Mountain Bike MTB Nova Alvorada do Sul
ELIMINATÓRIAS
Brasil vence Uruguai e segue 100% nas eliminatórias da Copa do Mundo
FUTEBOL
Filho de Eliza Samudio e Bruno joga como goleiro em escolinha de MS
BRASILEIRÃO
Santos com 11 desfalques (Covid - 19) vence o Internacional com base "molecada" por 2x0