Menu
SADER_FULL
domingo, 29 de novembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CIA DO BICHO
VÔLEI

Com salários atrasados por ex-time de Eike, Bruninho deixa o Rio e vai jogar na Itália

3 Jan 2014 - 16h10Por UOL

O levantador Bruninho, capitão da seleção brasileira, anunciou nesta sexta-feira que deixou o time de vôlei do Rio para jogar pelo Modena, da Itália.

Em comunicado publicado em sua página no Facebook, em tom de desabafo, Bruninho diz que saiu do atual campeão da Superliga masculina em razão da situação econômica da equipe carioca.

Segundo o levantador, apenas o primeiro salário da temporada foi pago aos jogadores. A Superliga masculina começou em setembro.

“A situação do RJ Vôlei, como é do conhecimento geral, não é das melhores. Recebi propostas anteriormente, mas acreditei que pudéssemos resolver o problema do clube e tinha a esperança que conseguiríamos outros parceiros para a manutenção de todo o elenco”, disse Bruninho.

“Mas eu e alguns companheiros de elenco recebemos apenas um mês desde o início da temporada, situação que me levou a tomar a decisão mais difícil da minha carreira: a de deixar o Brasil por algum tempo”, emendou.

Chamada de RJX, a equipe carioca tinha como principal patrocinador a empresa OGX, que pertence ao grupo EBX, do empresário Eike Batista. Em novembro, porém, em meio à crise do grupo, a empresa petrolífera desativou definitivamente o apoio ao time.

A equipe continuou na Superliga, mas com o nome de RJ Vôlei e sem o nome da empresa de Eike no uniforme. O time é o atual terceiro colocado da competição nacional. O custo para manter o time gira em torno de R$ 8,5 milhões por temporada. A OGX apoiava o RJX desde 2011, quando o projeto foi criado.

Bruninho também disse no comunicado que a situação econômica ruim não se restringe ao time do Rio.

No fim do ano, à Folha, o central Gustavo Endres, presidente da Comissão de Atletas e jogador do Canoas, já havia feito críticas em relação à situação do vôlei no Brasil.

Segundo o ex-central da seleção brasileira, atualmente muitos atletas jogam sem contrato assinado com seus respectivos clubes. Assim, Nas últimas semanas de 2013 aconteceram reduções de salários em até 30% e atrasos nos pagamentos de alguns jogadores.

“O problema do RJ Vôlei não é um fato isolado. Colegas de profissão estão em outras equipes passando por problemas semelhantes e muitas vezes até piores do que o nosso no Rio de Janeiro. É preciso valorizar o esporte coletivo que mais medalhas olímpicas e mundiais conquistou para o nosso Brasil”, afirmou o levantador e capitão da seleção.

 

LEIA ÍNTEGRA DO COMUNICADO DE BRUNINHO

Bom dia pessoal, antes que a mídia noticie, estou aqui!

 

A situação do RJ Vôlei, como é do conhecimento geral, não é das melhores. Recebi propostas anteriormente, mas acreditei que pudéssemos resolver o problema do clube e tinha a esperança que conseguiríamos outros parceiros para a manutenção de todo o elenco.
Mas eu e alguns companheiros de elenco recebemos apenas um mês desde o início da temporada, situação que me levou a tomar a decisão mais difícil da minha carreira: a de deixar o Brasil por algum tempo.

Estou aceitando a proposta de jogar o restante da temporada em Modena, cidade da Itália onde já atuei em 2011 e pela qual tenho um grande carinho.

Jamais gostaria de deixar amigos, companheiros e uma torcida que nos apoia no meio de uma competição como a Superliga. Mas a situação se torna inevitável e, na nossa curta carreira de atletas, não podemos abrir mão dos nossos direitos como profissionais por praticamente uma temporada inteira.

É claro que continuo acreditando no vôlei do Brasil e jogar aqui sempre será minha primeira opção. Mas vejo que devemos nos preocupar com a situação geral do esporte em nosso país.

O problema do RJ Vôlei não é um fato isolado. Colegas de profissão estão em outras equipes passando por problemas semelhantes e muitas vezes até piores do que o nosso no Rio de Janeiro.

É preciso valorizar o esporte coletivo que mais medalhas olímpicas e mundiais conquistou para o nosso Brasil.

Se isso acontece em uma modalidade com tanta visibilidade, e considerada por muitos a segunda mais importante do país, imaginem o que se passa com as que não têm o mesmo espaço na mídia.

Sempre é bom lembrar que estamos a dois anos de uma Olimpíada, que além do mais será realizada aqui mesmo no Brasil, e no Rio de Janeiro.

Desculpem o desabafo, mas não poderia me calar diante dessa situação.

Espero que vocês entendam minha decisão e saibam que nesses últimos meses não faltou empenho para resolver o problema.

Desejo todo o sucesso aos meus companheiros e integrantes da comissão técnica. E agradeço o carinho que recebi da maravilhosa torcida do RJ Vôlei durante todo o tempo em que tive a honra de vestir a camisa 1 do clube.

Muito obrigado e conto com vocês sempre.

 Bruninho #1

 

Bruninho volta ao Modena, onde jogou em 2011

Bruninho volta ao Modena, onde jogou em 2011

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em Caarapó, Reinaldo Azambuja inaugura indústria com 300 empregos e entrega reforma de escola
DEMITIDO
Funcionário de funerária é demitido por tirar foto com o corpo de Maradona
100 COPINHA
FPF anuncia o cancelamento da Copa São Paulo Junior de 2021
LUTO NA TV
Fernando Vannucci, apresentador, morre aos 69 anos em São Paulo
FATIMASSULENSES DESTAQUES
Fatimassulenses ficam em 3º e 4º lugares na 3ª Maratona Mountain Bike MTB Nova Alvorada do Sul
ELIMINATÓRIAS
Brasil vence Uruguai e segue 100% nas eliminatórias da Copa do Mundo
FUTEBOL
Filho de Eliza Samudio e Bruno joga como goleiro em escolinha de MS
BRASILEIRÃO
Santos com 11 desfalques (Covid - 19) vence o Internacional com base "molecada" por 2x0
JOGOS ONLINE
Cassinos: história, evolução e variedades
CORONAVIRUS NO ESPORTE
Cinco atletas do Coritiba testaram positivo para COVID-19