Menu
SADER_FULL
sexta, 4 de dezembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
JUNINHO DENTISTA NOVO
Sintomas de abstinência

Ficar muito tempo sem sexo deixa mulher “virgem” de novo, diz especialista

15 Mar 2014 - 10h35Por R7

Que atire a primeira pedra quem nunca passou por uma “seca” na vida sexual. Entre solteiros e casados, é algo que acontece pelos mais variados motivos, e não deve ser encarado como um grande problema - isto é, desde que não dure por um período prolongado, porque aí começam a aparecer as consequências.

A primeira delas é de ordem física. Mulheres que passam muito tempo sem relações sexuais podem, na hora de retomar a atividade, sentir bastante dor.

“É como se ela ficasse virgem de novo”, explica a ginecologista Carolina Ambrogini, coordenadora do setor de sexualidade feminina da Unifesp.

— A musculatura vaginal se acomoda e, quando vai ser usada, está mais fechada, o que pode ser muito incômodo.

Segundo Carolina, não há um tempo padrão para que as mulheres passem a notar as diferenças no corpo após a abstinência, mas cerca de seis meses sem sexo já podem afetar o organismo de maneira significativa.

E não é só isso: estudo realizado pelo médico Issa Dahabreh, do Centro Médico Tufts, de Boston, com mais de 6 mil pacientes, revelou que a o sexo pouco frequente pode levar a um ataque cardíaco. Isso porque a atividade sexual exige preparo físico e pessoas com uma vida sendentária, inclusive na cama, têm elevados seus riscos de uma parada cardíaca súbita, especialmente os maiores de 50 anos.

— As pessoas que fazem exercício físico com regularidade, inclusive sexo, têm um risco muito menor de sofrer ataques cardíacos imediatamente após o ato sexual.

Já no aspecto psicológico, tudo acontece mais rápido e com desdobramentos inclusive mais graves.

“Uma mulher sem sexo vai ter um acúmulo de tensão, vai se tornar cada vez mais irritadiça, e pode até mesmo entrar em um quadro depressivo”, alerta Carmita Abdo, psiquiatra coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade da USP.

Para Carmita, uma mulher acostumada a fazer sexo de duas a três vezes por semana já começa a apresentar sintomas de abstinência depois de apenas um mês sem a atividade.

Ela revela, ainda, que há, no Brasil, um contingente de 7% a 8% de mulheres que não têm vida sexual por escolha própria.

— Estas mulheres estão concentrando a libido em outras ações, como o cuidado com os filhos, o trabalho, causas voluntárias. Elas podem tanto não sentir necessidade quanto ter tido uma educação repressora. Ou, simplesmente, estão passando por um momento de angústia, cansaço, desemprego, preocupação ou falta de atração pelo parceiro.

Quando a ausência de sexo é uma escolha, e não uma contingência, a psiquiatra explica que os parceiros tendem a ser solidários e compreensivos no primeiro momento.

— No entanto, com o tempo ele também vai viver um estado de tensão, se sentindo desconfiado e rejeitado. O casal começa, então, a se desentender.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTA PREMIADA MS
No combate à sonegação fiscal, Nota MS Premida distribui R$ 3 milhões em prêmios
ILPI - FATIMA DO SUL
ILPI quer realizar confraternização do Natal Feliz com os idosos com ajuda da comunidade de Fat. Sul
VICENTINA NA GRANDE FINAL
Vicentina tá na grande final do Festival On-Line da Melhor Idade hoje às 15h, veja como assistir
100 COPINHA
FPF anuncia o cancelamento da Copa São Paulo Junior de 2021
1ª PEDALADA MARANATA KIDS
Igreja Adventista do Sétimo Dia realiza a 1ª Pedalada Maranata Kids em Fátima do Sul
Zezé Di Camargo canta durante velório do pai, Francisco Camargo, em Goiânia  Foto: Vítor Santana G1 TRISTE PARTIDA
Zezé Di Camargo toca sanfona e canta 'É o Amor' durante velório do pai
FENÔMENO DA NATUREZA
Meteoro explode sobre a fronteira do RS com o Uruguai; veja imagens
VENDA DE CARROS
A venda de carros novos continua crescendo
ELIMINATÓRIAS
Brasil vence Uruguai e segue 100% nas eliminatórias da Copa do Mundo
CHOCANTE
Menina de 13 anos é forçada a se casar com homem de 48 nas Filipinas