Menu
SADER_FULL
sábado, 6 de junho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
CAMPO GRANDE

VÍDEO: Contra cortes de Bolsonaro, professores e alunos protestam na Capital

Movimento espera cerca de 10 mil manifestantes de escolas estaduais, municipais e federais até fim da manhã

15 Mai 2019 - 15h41Por Midiamax

Pelo menos 2 mil pessoas, entre estudantes e professores, protestam na Avenida Costa e Silva, em frente à UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), contra os cortes orçamentários na educação e contra a proposta de reforma da previdência proposta pelo governo federal.

De acordo com a organização, cerca de 10 mil pessoas são aguardadas na paralisação, que deve seguir por toda a manhã. Além de estudantes da UFMS, IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) e da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do SUl), entidades sindicais como a Fetems, Adufms, ACP, Sinted, e Sista-MS estão no local.

(Foto: Marcos Ermínio | Midiamax)

Agentes de trânsito fazem o ordenamento viário e orientam motoristas na rotatória da Interlagos. Apesar da Avenida Costa e Silva não estar obstruída, há um pouco de lentidão no trânsito. Segundo levantamento, diversas escolas estaduais e municipais estão sem aula nesta quarta-feira.

Para a presidente da Adufms (Associação dos Docentes da UFMS), Marilza Guimarães, os cortes orçamentários na educação vão representar engessamento do ensino e da pesquisa, o que será refletido em diversos setores da sociedade, dentre eles, a saúde. Além disso, a reforma da previdência também afeta diretamente a remuneração e tempo de serviços dos professores.

“São situações que vão fazer o rendimento da educação despencar. É por isso que estamos fazendo esse ato, para convocar a população. Mais atos vão acontecer à frente e no próximo mês haverá nova paralisação de educadores e estudantes”, alerta.

Marilza também alerta para a união entre estudantes e professores. “Essa união faz toda a diferença, principalmente nesse momento, porque há uma compreensão geral de que os cortes e a reforma vai prejudicar todo mundo, de estudantes a professores e todos os outros trabalhadores”, acrescenta.

Uma das organizadoras da paralisação, a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), também faz coro aos malefícios dos cortes e da proposta de reforma.

“Esse ato é justamente para chamar atenção da sociedade. Quando as universidades e as escolas sofrem com os cortes, todo mundo, o país inteiro é prejudicado. Isso tira a chance de muita gente estudar, então não é um problema só da educação”, aponta Teixeira.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

VICENTINA - PROJETO COMEMORA 01 ANO
Projeto "Adote uma Muda” comemora um ano, parceria entre Escola Estadual e Prefeitura em Vicentina
VOLTA ÀS AULAS NO MS
Governo ainda não tem previsão se vai voltar com aulas presenciais em MS
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concurso federal com salário de até R$ 6 mil encerra inscrições nesta sexta-feira
AULAS PRESENCIAIS
Após pandemia escolas poderão ter aulas aos sábados e nas férias para cumprir ano letivo
CORONAVÍRUS NO MS
Governo de MS vai comprar 3 milhões de máscaras e estuda kit para volta às aulas
VICENTINA - COVID-19 - AÇÕES
SEMED desenvolve ações de Interação Remota entre Escolas & Família durante pandemia em Vicentina
AULAS PELA TV EM MS
Alunos da rede estadual começam a assistir aulas pela TV aberta nesta segunda-feira em MS
ENEM
Enem 2020 é adiado por causa da Covid
ARTIGO DA SEMANA
ARTIGO - O 'Medo' paralisa, por Luciano Gazola
AULAS SUSPENSAS
Aulas presenciais seguem suspensas até dia 30 de junho na rede estadual de ensino