Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 27 de novembro de 2020
SADER_FULL
Busca
JUNINHO DENTISTA NOVO
EDUCAÇÃO

Governo amplia jornada e planeja contratar cerca de 1,2 mil professores

13 Nov 2013 - 18h00Por CAMPO GRANDE NEWS

A Secretaria Estadual de Educação começa a cumprir o acordo com os professores da rede estadual de ensino e vai ampliar, já no início do ano letivo de 2014, a “hora-atividade”. Para atender à mudança, o governo do Estado vai contratar, de imediato, 1,2 mil temporários, explica o presidente da Fetems - entidade que representa os professores – Roberto Botarelli. A regulamentação das atribuições foi publicada no Diário Oficial do Estado no dia 11 de novembro.

A hora-atividade é o tempo reservado para os docentes planejarem as aulas ou corrigirem provas. A cada 1 hora trabalhada, um terço equivale à hora-atividade. O tempo será remunerado e pode ser usado dentro ou fora das escolas.

Concurso - Conforme Botarelli, a contratação é emergencial, até que sejam convocados os professores aprovados no último concurso, realizado no dia 28 de fevereiro de 2013. São 1.280 docentes a serem convocados e, até que todas as vagas sejam preenchidas, ficam os temporários.

As medidas foram negociadas em acordo firmado com a categoria, durante reunião com o governador André Puccinelli (PMDB), sobre o plano de carreira do ano que vem.

“Algumas vagas, como para professores de matemática, não serão preenchidas, mesmo com a convocação, por falta de profissionais da área. Para que os contratados não permaneçam, será feito um novo concurso, a ser homologado no primeiro semestre. Se tudo ocorrer dento do prazo previsto, a convocação deste novo certame será em agosto”, explica.

Impacto – A alteração no plano de carreira vai custar para os cofres públicos do Estado cerca de R$ 2 milhões por mês, valor estimado pelo governador à Botarelli. O reajuste salarial dos professores ainda não foi definido – Puccinelli pede que a Fetems aguarde uma definição sobre o reajuste do Piso Nacional, cujo projeto tramita no Congresso Nacional.

Os professores pedem que o piso atual, de R$ 1.810, 05 - corresponde à carga horária de 40 horas - seja referente a 20 horas. Ou seja, os profissionais que trabalham nas escolas teriam os salários dobrados, equivalentes a R$ 3.620,10.

A legislação federal determina que nenhum professor receba menos que R$ 1.567, atualmente. No Estado, o salário pago é de R$ 243,05 a mais do que a lei estabelece.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS - UNIGRAN
Diretor da Inova UNIGRAN conquista o 1º lugar no ranking de líderes do InovAtiva Brasil
EDUCAÇÃO NA PANDEMIA
Protocolo de Volta às Aulas da Rede Estadual prevê ensino híbrido em 2021
GREVE DE FOME
Professores fazem greve de fome por revogação de edital de temporários
HONESTIDADE
Casal descobre tesouro em casa recém-comprada e devolve pro antigo dono
JATEÍ E SUA HISTÓRIA
Emoção marca agradecimentos de autoras de livro ao prefeito que está resgatando história de Jateí
INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO
Missão educacional em Rio Brilhante se inova com tecnologia para desafios em tempos da pandemia
ARTIGO DO LEITOR
Professor de Fátima do Sul escreve sobre a volta de 15 de novembro nas eleições brasileiras
VOLTA ÀS AULAS EM MS
VOLTA ÀS AULAS presenciais na rede estadual só em 2021, diz governador
Aluna testou positivo e pais informaram a escola sobre caso de covid. (Foto: Arquivo/Kísie Ainoã) CORONAVÍRUS EM MS
Aluna testa positivo para coronavírus e escola de Ensino Médio fecha por 14 dias em MS
WEBINÁRIO DO MS
SES realiza webinário Sul-Mato-Grossense para enfrentamento à Covid-19