Menu
SADER_FULL
terça, 27 de outubro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
+ CONSUMO

Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas

Além disso, no comparativo anual, houve recuo de 26,9% - a sexta retração seguida nesta base comparativa.

29 Set 2020 - 08h57Por Agência Brasil

A Intenção de Consumo das Famílias, medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aumentou 1,3% em setembro, após cinco quedas consecutivas, e subiu a 67,6 pontos.

Mesmo com a alta, o índice registrou o pior desempenho para um mês de setembro desde o início da série histórica, em janeiro de 2010.

Além disso, no comparativo anual, houve recuo de 26,9% - a sexta retração seguida nesta base comparativa.

O indicador está abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde abril de 2015.

Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, a flexibilização do funcionamento dos estabelecimentos comerciais tem ajudado na recuperação do consumo dos brasileiros.

"As famílias têm se revelado mais satisfeitas diante das novas regras de abertura do comércio, mesmo que o momento atual ainda exija cautela", disse, em nota, Tadros.

Retração de renda

O único indicador relativo ao momento atual que apresentou retração foi o relacionado à renda (-1,1%). O item acumulou a sexta queda seguida e caiu a 76,5 pontos – o menor patamar da série histórica.

"A renda continua sendo um fator sensível para as famílias, mesmo tendo melhora nas percepções em relação ao mercado de trabalho, que se tornaram menos negativas", afirmou Catarina Carneiro da Silva, economista da CNC responsável pelo estudo.

O subíndice que mede a satisfação dos consumidores com relação ao emprego voltou a registrar crescimento (+0,3%), após cinco quedas seguidas, e fechou o mês como o item de pontuação mais elevada (85,7 pontos).

Em relação às condições de consumo, o subíndice consumo atual voltou a apresentar crescimento (+1,6%), após cinco quedas consecutivas, chegando a 50,7 pontos.

O item acesso ao crédito seguiu o mesmo caminho, registrando aumento mensal de 0,8% – depois de quatro recuos seguidos – e atingindo 81,1 pontos.

Com relação à perspectiva de consumo, houve leve retração mensal (-0,1%), o que, segundo Catarina, "mostra que, apesar da melhora na percepção de consumo atual, as famílias continuam seletivas com sua renda".

Deixe seu Comentário

Leia Também

ALIVIO NO BOLSO
Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir desta terça (27)
FURIA DA NATUREZA
Dourados teve ventos mais fortes do ano e nono maior volume diário de chuva
DECRETO
Danos causados por temporal faz Délia decretar situação de emergência
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Investimentos de R$ 130 milhões do Governo MS promovem transformações em Chapadão do Sul
MS 43 ANOS
Promessa de hub logístico, Porto Murtinho recebe investimentos públicos, privados e internacionais
AÇÕES DO GOVERNO MS
Sidrolândia: pavimentação da MS-258 entra em fase de conclusão
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Investimentos superiores a R$ 73 milhões do Governo do Estado levam desenvolvimento a Brasilândia
AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Recurso R$ 36,5 milhão, Governo já investiu quase R$ 10 mil por habitante de Novo Horizonte do Sul
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Com estimativa é gerar 2 mil empregos, Aegea assumirá saneamento do Estado em 2021