Menu
SADER_FULL
quinta, 6 de agosto de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
polícia

'Viado tinha de transar', revela preso em cela exclusiva para gays

31 Out 2013 - 15h13Por Terra

O governo federal e as quatro grandes companhias aéreas que atuam no Brasil irão criar rotas exclusivas para atender à demanda de passageiros durante a Copa de 2014. Além da criação e liberação de novos horários nas rotas mais concorridas, como entre o Rio de Janeiro e São Paulo, serão criadas rotas exclusivas para o Mundial entre algumas das cidades-sede que não possuem vôos regulares entre si.

De acordo com o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Wellington Moreira Franco, a medida visa aumentar as opções de deslocamento dos torcedores entre as sedes dos jogos e ajudar a diminuir a pressão sobre os preços durante a Copa do Mundo no ano que vem. "Vamos criar rotas exclusivas para atender à Copa", afirmou o ministro na manhã desta quinta-feira (31) durante o evento "Encontro Nacional de Editores da Coluna Esplanada", promovido pelo jornalista Leandro Mazzini.

"Vamos aumentar a oferta de vôos nas rotas já existentes e criar vôos regulares onde não existem", disse o ministro da Aviação Civil. Questionado pela reportagem após o evento sobre detalhes do plano do governo, Franco disse que os pormenores ainda estão sendo discutidos com as companhias aéreas, mas deu um exemplo. "É só olhar a malha e ver onde vai faltar. Por exemplo, hoje não existe um vôo regular entre Cuiabá e Salvador. Isso provavelmente será necessário".

Na tarde desta quinta-feira, um comitê criado pelo governo federal para acompanhar a evolução dos preços dos serviços e produtos durante a Copa de 2014 faz sua segunda reunião, desta vez com previsão da participação de representantes da Tam, Azul, Gol e Avianca. As empresas aéreas também tinham uma reunião com membros da Senacom (Secretaria Nacional do Consumidor) para discutir os preços das passagens durante a Copa do Mundo.

O comitê, presidido pela ministra-chefe da Casa Cilvil, Gleisi Hoffmann, e composto por representantes da Anac, Ministério da Justiça, Procons, Embratur e Ministério do Turismo, entre outros, foi criado após o jornal Folha de S. Paulo revelar que o preço a ponte aérea entre São Paulo e Rio de Janeiro já custava, em outubro, mais que a viagem entre São Paulo e Nova York, nos Estados Unidos, durante o período do Mundial, em junho do ano que vem. Após a revelação, os preços baixaram.

Após a primeira reunião, na semana passada, o governo disse que não irá controlar o preço de passagens aéreas e nem o de diárias de hotéis, mas atuará para previnir o que chamou de abusos. De acordo com Gleisi Hoffmann, os Procons e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) podem agir caso seja constatada a combinação de preços, o que poderia caracterizar a formação de cartel.

Após a primeira reunião o governo anunciou também, conforme já havia revelado o UOL Esporte, que o Cade investiga a Match Services AG e a Fifa, por conta de supostas práticas que estariam elevando o preço médio das diárias nos hotéis das cidades-sede da Copa. A Match é a empresa escolhida pela Fifa para fornecer ingressos para a Copa do Mundo de 2014 e acomodação para atletas e dirigentes durante o Mundial. Segundo o MPF (Ministério Público Federal), a Match cometeu infrações contra a ordem econômica ao adotar práticas semelhantes à venda casada, proibida no país, e que limitam a livre concorrência.

Moreira Franco minimizou o problema. "Houve uma excitação muito grande com esse assunto. Só saberemos a real demanda por vôos e o patamar dos preços a partir do começo de dezembro, após o sorteio das chaves da Copa", disse. "Teremos toda a oferta necessária de vôos e preços justos não só para os turistas estrangeiros, mas também para os brasileiros, nossa maior preocupação", afirmou o ministro.

O ministro da Aviação Civil também afirmou que está descartado pelo governo autorizar empresas aéreas estrangeiras a operar no Brasil durante a Copa de 2014 para suprir eventuais faltas de vôos. "Não se preocupem com a Copa, não teremos problemas e não haverá abuso", afirmou Moreira Franco.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REINFECÇÃO EM ALERTA
Novo coronavírus tem segundas novas ondas de reinfecção e acendem sinal de alerta
FÁTIMA DO SUL - EMENDAS DA SENADORA
Entre construção do Corpo de Bombeiros e saúde, Simone já destinou R$ 1,8 milhão para Fátima do Sul
JATEÍ - TRABALHOS RETOMADOS
Reeducandas retomam trabalho de limpeza urbana com adoção de medidas preventivas em Jateí
RETORNO ÀS AULAS EM MS
MS discute estratégias de retorno às aulas presenciais de forma segura
PONTE DE MADEIRA
Fogo 'engole' ponte e Agesul trabalha para liberar tráfego na MS-228
JATEÍ - PESQUISA REGISTRADA
Eraldo tem 71,2%, indica instituto London Pesquisas, veja os números em Jateí
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Polícias e Bombeiros do MS recebem R$ 50 milhões em investimentos do Governo do Estado
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS reforça estrutura das polícias para combater criminalidade
CORONAVÍRUS NO MS
Mato Grosso do Sul é o 3º Estado que mais testa para a Covid-19 no Brasil
CORONAVÍRUS NO MS
Governador Reinaldo recomenda lockdown, mas diz respeitar autonomia das prefeituras