Menu
SADER_FULL
terça, 9 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
MUNDO

Ronald Biggs, conhecido como 'ladrão do século', morre aos 84 em Londres

18 Dez 2013 - 07h14Por Folha

O britânico Ronald Biggs, conhecido como o "ladrão do século" pelo audacioso assalto ao trem pagador que ia de Glasgow a Londres em 1963, morreu aos 84 anos, em um asilo para idosos em East Barnet, no norte de Londres.

Biggs já teve ao menos três derrames, ataque cardíaco, ataques epilépticos, úlcera no estômago, além de uma fratura no quadril que o deixou internado por dias no hospital universitário de Norfolk e Norwich.

O britânico era o líder de uma gangue de cerca de 15 homens que conseguiu, em 8 de agosto de 1963, parar um comboio ferroviário manipulando a sinalização. Depois de ferir gravemente um funcionário, eles fugiram com 120 sacos de notas usadas contendo no total 2,6 milhões de libras, uma quantia recorde para a época equivalente a cerca de R$ 124 milhões.

Os ladrões, inclusive Biggs, foram presos em janeiro de 1964. Processado e condenado a 30 anos de prisão, Biggs foi para a penitenciária de Wandsworth (Londres), de onde conseguiu fugir 15 meses depois.

Ele passou por cirurgias estéticas e viveu como foragido na Espanha, na Austrália e, principalmente, no Brasil.

Assalto ao trem pagador

Neil Hall - 20.mar.13/Reuters
Ronald Biggs gesticula para fotógrafos no funeral de Bruce Reynolds, em Londres, em março de 2013; Reynolds, o 'mentor' do assalto ao trem pagador, morreu aos 81 anos em fevereiro

EXTRADIÇÃO

Biggs chegou ao Brasil ná década de 1970 e viveu aqui por cerca de 30 anos, mais especificamente no Rio de Janeiro. Ele teve um filho com sua namorada Raimunda, Michael Biggs, que se tornou seu maior defensor.

Ao descobrir que o "ladrão do século" estava em solo brasileiro, o governo britânico iniciou uma batalha judicial para sua extradição. A questão, contudo, é que a legislação britânica não admite a formulação de pedido oficial de extradição a país com o qual não tenha tratado de extradição. O acordo entre o Brasil e o governo britânico só entrou em vigor em outubro de 1997 --25 anos depois do assalto ao trem pagador.

O caso foi então para julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) --que considerou o Estatuto do Estrangeiro que estabelece que, antes de julgar a extradição, os juízes devem levar em conta o prazo estabelecido pela legislação brasileira. No Brasil, o audacioso assalto havia prescrito há cinco anos.

Após meses de uma batalha judicial entre o governo britânico e a Justiça do Brasil, o STF arquivou oficialmente o pedido de extradição de Biggs em novembro de 1997. Os ministros alegaram que a prescrição do crime impede o recebimento do pedido formulado pelo governo britânico.

FALIDO

Nos últimos anos de sua estadia no Brasil, Biggs vivia em dificuldades financeiras. Ele transformou sua casa em Santa Teresa (zona central do Rio) em uma espécie de museu para turistas britânicos e vendia camisetas, bonés e outros produtos de sua "marca" em uma página na internet.

Em 2001, Biggs afirmou que desejava retornar ao Reino Unido. Seu advogado brasileiro na época, Wellington Mousinho, afirmou à Folha que Biggs só voltaria "com o perdão judicial". Rumores indicavam, contudo, que ele receberia uma grande quantia do tabloide "The Sun" pela exclusividade de sua história.

Biggs já havia sofrido dois derrames e vizinhos cariocas diziam que ele andava com dificuldades e quase não podia falar. Só saía de casa para ir de táxi a sessões de fisioterapia, na Tijuca (zona norte). Mousinho ressaltou, contudo, que ele estava lúcido e que voltava ao Reino Unido porque estava com saudades.

CONDICIONAL

Preso, Biggs cumpriu mais de um terço da pena no centro de detenção Belmarsh, centro de detenção de segurança máxima.

Em agosto de 2009, Biggs, que estava doente, foi libertado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Parceria do Governo com bancada federal multiplica emendas e recursos aos municípios
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em parceria com o MEC, governo renova frota e entrega ônibus escolares para 79 cidades
óbitos BOLETIM CORONAVÍRUS EM MS
Homem de 37 anos está entre os 25 óbitos por coronavírus nas últimas 24h em MS
BORA TRABALHAR
BORA TRABALHAR: Mais de 1.200 vagas de empregos estão disponíveis em 25 municípios de MS, confira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Assembleia inicia semana com 10 projetos do Governo em tramitação
Crédito: Reprodução Portal Rio Verde Notícias Ilustrativa ACIDENTE FATAL
Motociclista morre esmagado ao ultrapassar carreta em MS
PREVISÃO DO TEMPO
Chuva com forte intensidade podem ocorrer e vir acompanhadas de raios
CORONAVÍRUS NO MS
Trabalho da SES possibilita habilitação de 115 leitos de UTI-Covid em MS
BORA TRABALHAR
QUER TRABALHAR: "MS Contrata+" já tem mais de 18 mil currículos cadastrados; cadastre o seu também
CONFIRA A PREVISÃO
CONFIRA A PREVISÃO: Final de semana será de céu nublado e chuvas intensas