Menu
SADER_FULL
sábado, 5 de dezembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CIA DO BICHO
Dourados

Rodoviária, aeroporto e transporte público de Dourados serão terceirizados em 2015

20 Mar 2014 - 13h33Por Dourados Agora

Empresas privadas vão assumir a partir do ano que vem toda a prestação de serviço oferecido no terminal rodoviário, no aeroporto e no transporte público em Dourados. Com a terceirização, a Prefeitura quer economizar R$ 275 por mês.

Na manhã desta quinta-feira, o secretário de serviços urbanos Luis Roberto Martins de Araújo, reuniu a imprensa para falar sobre o projeto da prefeitura, aprovado pela maioria dos vereadores da Câmara, com exceção de Délia Razuk (PMDB), Dirceu Longhi (PT), Elias Ishy (PT) e Virginia Magrini (PP).

De acordo com o secretário, essas empresas serão responsáveis somente pela prestação de serviços. "O prédio do aeroporto, da rodoviária e do transbordo continuarão sendo patrimônio da prefeitura", garantiu.

Ainda não está definido por quanto tempo essas empresas ficarão responsáveis pelos serviços, mas Luis Roberto acredita que a terceirização será de pelo menos 10 anos. "Todos os detalhes sobre a exploração dos serviços serão discutidos daqui pra frente. A prefeitura irá elaborar o edital com todas as exigências que essas empresas terão que atender", esclareceu o secretário. O edital será lançado até o final do ano.

E foi justamente a falta de um projeto que fez com que quatro vereadores votassem contra a proposta da prefeitura. Não há informações de quais serviços as empresas terceirizadas irão explorar e se essas empresas poderão cobrar taxas dos usuários que vão frequentar o aeroporto, a rodoviária, bem como aqueles que vão utilizar o transporte público.

Segundo o secretário, a rodoviária tem um custo mensal de R$ 75 mês e o aeroporto R$ 200 mil. "Não temos um quantitativo de funcionários suficientes para oferecer um bom serviço nesses locais num período de 24 horas por dia. Com a terceirização, poderemos exigir da empresa melhorias em toda a prestação de serviço", explicou Luis Roberto.

Ele cita que na rodoviária, entre as exigências mínimas que vão ser cobradas da empresa vencedora da concessão será a instalação de catracas, criação de um ponto de atendimento. Já no aeroporto, instalação de esteira de bagagem e melhorias na sala de embarque e desembarque. No transporte público a melhoria deverá ser feita nos pontos de ônibus e no terminal de transbordo, do atual e de um outro a ser construído.

Hoje, os serviços oferecidos no terminal rodoviário ficam no térreo. É nesses locais que funcionam o guichê das empresas, lanchonetes e o embarque e desembarque de passageiros. É justamente com o aluguel de salas dos guichês e das lanchonetes e da taxa de embarque que a prefeitura arrecada verba para a manutenção de todo o prédio.

No piso superior da rodoviária não há serviços. Nesse local funciona apenas órgãos públicos da prefeitura, como a Agência de Trânsito (Agetran), Secretaria de Serviços Urbanos e Museu Histórico, locais onde provavelmente não serão atendidos pela empresa que vencer a terceirização.

O secretário não soube explicar se as empresas que vão administrar o aeroporto, a rodoviária e o terminal de transbordo vão ter que criar novas taxas ou se terão que se contentar com as arrecadações já existes nesses locais.

Informações insuficientes

O vereador Elias Ishy, que votou contra a terceirização, disse ao Dourados Agora que foi contrário ao projeto por um simples motivo: falta de projeto. Segundo ele, a prefeitura não apresentou na Câmara um projeto que justificasse a real necessidade de terceirar os serviços. "Foi tudo de forma sintetizada e quando questionamos o secretário Luis Roberto de como funcionará essa concessão, ele apenas respondeu verbalmente, ou seja, não há nada definido", disse Ishy. Para ele, o executivo deveria ter criado um projeto detalhado com custos, vantagens e desvantagens que ambas as partes - administração municipal e empresa terceirizada - teriam na administração da rodoviária e do aeroporto.

A vereadora Virgínia Magrini também compartilha a ideia de que faltou explicações por parte da prefeitura de como vai funcionar esses serviços terceirizados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS EM MS
Prosseguir: Governo volta a registrar municípios em grau de risco extremo
CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
EMPREGO E RENDA
Cerca de 5 mil indígenas de MS são contratados por empresas de SC e RS para a colheita da maçã
MIRANDA - MS - PROJETO SALOBRA
Mais uma parceria CRAS e Projeto Salobra, em Miranda
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h