Menu
SADER_FULL
terça, 27 de outubro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
BRASIL

Restos mortais de João Goulart serão exumados nesta quarta no RS

Exumação dos restos mortais de Jango lota hotéis de São Borja (RS)

13 Nov 2013 - 06h58Por Terra

Os restos mortais do ex-presidente da República João Goulart serão exumados nesta quarta-feira, em São Borja, a 594 quilômetros de Porto Alegre (RS). Os exames fazem parte dos esforços da Comissão Nacional da Verdade (CNV) para determinar se Jango foi ou não assassinado durante a ditadura militar.

Segundo o governo do Rio Grande do Sul, a Casa Militar do Estado organizou um esquema de segurança para que familiares, autoridades e cidadãos acompanhem o procedimento. Porém, apenas os peritos terão acesso ao jazigo no cemitério Jardim da Paz. O governador Tarso Genro e a ministra da Secretaria de Direitos Humanos (SDH), Maria do Rosário, acompanharão a exumação.

Segundo Maria do Rosário, a exumação é um pedido da família à secretaria, Ministério Público Federal e à Comissão da Verdade. "A nossa atuação é conjunta com os peritos do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal e da Argentina, Uruguai, Cuba (com um perito que trabalhou na exumação do revolucionário Ernesto Che Guevara) e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha. Durante dois anos realizamos uma pesquisa sobre os tipos de produtos que as ditaduras da Operação Condor realizavam para o envenenamento de pessoas, e esta pesquisa de caráter histórico serve justamente para verificar o que os peritos estarão procurando", disse.

A ministra afirma que com o trabalho realizado é possível comprovar que Jango era perseguido, monitorado diariamente mesmo no exílio, e que as ditaduras dos países da região operaram tendo o presidente João Goulart como um dos seus maiores adversários. O resultado da investigação será apresentado ao governo brasileiro e à família, posteriormente noticiado publicamente.

"Trata-se de um chefe de Estado, estamos nos preocupando com a preservação deste momento, tanto pelo resgate da memória de Jango, como pela família que irá acompanhar. Teremos um aparato de segurança diferenciado em toda área do cemitério, mas isso não impede que as pessoas acompanhem o ato", ressaltou o secretário-chefe da Casa Militar e responsável pela operação, coronel Oscar Luís Moiano.

Depois do procedimento, o corpo de Jango será levado a Santa Maria, de onde sairá na quinta-feira rumo a Brasília, com honras de chefe de Estado. No dia 5 de dezembro, o corpo de Jango voltará ao Rio Grande do Sul, onde será recebido no Palácio Piratini pelo governador Tarso Genro. No dia seguinte, data que marca os 37 anos da morte do ex-presidente, será levado de volta a São Borja.

A exumação servirá para apurar a suspeita de que Jango tenha sido morto por envenenamento, durante exílio na Argentina em 1976, o que contraria a versão oficial de que ele foi vítima de um ataque cardíaco. Christopher Goulart, neto e advogado da família, diz que não há dúvidas de que o avô foi assassinado durante a ditadura. A exumação do corpo de um ex-presidente é um fato inédito no Brasil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo do Estado entrega 20 motos BMW para a PM e o Corpo de Bombeiros Militar
CALORZINHO NO MS
Cidade de MS bate recorde histórico de temperatura máxima 44,6 °C
SORTUDOS DE MS
SORTUDOS DE MS: 5 apostadores levam a quina da Mega-Sena, confira se foi você
MS DESTAQUE
Com práticas voltadas para Educação e Gestão Pública, MS é destaque em 1º Prêmio do Brasil Central
FERIADÃO CHEGANDO
Feriado prolongado na pandemia: consciência, reponsabilidade e cuidados redobrados
TURISMO
Conheça o Vancouver com um visto Canadense
DEFESA CIVIL ALERTA
ALERTA DEFESA CIVIL: Tempo seco pode trazer riscos à saúde e incêndios florestais em todo MS
TECNOLOGIA
Detran-MS implementa sistema inovador para pagamento de guias por cartão de débito de todos os bancos
TRAGÉDIAS DA COVID-19
Grávida morre após pegar Covid durante chá de fraldas surpresa
ESPAÇO SAÚDE
Gripe, alergia ou resfriados? Você sabe a diferença?