Menu
SADER_FULL
sábado, 28 de novembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
BANNER ALVORADA
mato grosso do sul

Produtores afirmam que governo não quer pagar por terras

Manifesto de produtores rurais Grito do Produtor, reuniu cerca de 60 pessoas

8 Fev 2014 - 09h22Por Dourados Agora

Um grupo formado por cerca de 60 produtores rurais realizou, na tarde de ontem, a manifestação denominada Grito do Produtor, para protestar contra a política de demarcação de terras do governo federal e das ações da Fundação Nacional do Índio (Funai) que, segundo os manifestantes, incentivam as invasões de propriedades rurais por parte dos índios e acusaram o governo federal de não querer pagar pelas terras destinadas às comunidades indígenas.

A manifestação, na Praça do Rádio Clube, foi aberta pelo produtor rural Glauco Mascarenhas, de Dourados, que defendeu o direito de propriedade, condenou as ações da Funai no incentivo às invasões de terras e ressaltou que as terras desapropriadas para comunidades indígenas devem ser tituladas para os próprios índios e não para a União.

Mascarenhas também criticou alguns políticos que se reuniram com produtores rurais, firmaram pacto para defender o direito de propriedade e nada fizeram para cumprir os compromissos e disse que “essas pessoas, já identificadas , não merecem o apio e a confiança da classe produtora rural” e denunciou a intenção do governo de, com as desapropriações, criar “fazendões”, ou “comunas”, que não deram certo na China, em Cuba e na Coréia do Norte e resultaram em milhões de mortos.

“Estamos discutindo não somente as questões indígenas, mas a ambiental e temos consciência de que não é necessário derrubar mais nenhum pé de árvore, aqui ou na Amazônia, se o governo nos incentivar a recuperar as terras de áreas agricultáveis e reformar os pastos, para que possamos até triplicar nossa produção”, destacou Mascarenhas, que anunciou uma reunião com um vereador indígena na próxima semana para discutir as questões agrárias.

O ex-deputado federal e produtor rural Pedro Pedrossian Filho, o Pepê, um dos coordenadores da manifestação, afirmou que, há três anos, está confinado em sua propriedade, de 1.000 hectares, no município de Miranda, com temor de invasões de indígenas. Segundo ele, sua fazenda já foi invadida em duas oportunidades, em 2005 e 2008, porém, garantiu a reintegração de posse e hoje não deixa a propriedade para não correr o risco de novas invasões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h
NAVIRAÍ E TODO MS DE LUTO
Morre deputado estadual Onevan de Matos
Confira quantos eleitores vão às urnas neste domingo em Culturama e Fátima do Sul FÁTIMA DO SUL E CULTURAMA
Confira quantos eleitores vão às urnas neste domingo em Culturama e Fátima do Sul
FALTA DE ENERGIA
Está sem luz? Energisa diz que temporal com '6 mil raios' é responsável por queda de energia
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo do Estado entrega 20 motos BMW para a PM e o Corpo de Bombeiros Militar
CALORZINHO NO MS
Cidade de MS bate recorde histórico de temperatura máxima 44,6 °C