Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 5 de agosto de 2021
Busca
presidenta interina

Presidenta da Funai pede exoneração do cargo

26 Set 2014 - 17h55Por Agência Brasil

Há 15 meses no papel de presidenta interina da Fundação Nacional do Índio (Funai), Maria Augusta Assirati deixará o cargo nos próximos dias. Segundo a assessoria do órgão indigenista, foi a própria Maria Augusta quem pediu exoneração a fim de se mudar para Portugal, onde fará um curso de doutorado. A viagem está marcada para a próxima semana.

A presidenta da Funai, Maria Augusta Assirati, fala sobre contato com índios isolados (Fabio Rodrigues Pozzebom /Agência Brasil)A presidenta da Funai, Maria Augusta Assirati, deixa o cargo na próxima semana. Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Graduada em direito e mestre em desenvolvimento e políticas públicas, Maria Augusta ocupava a diretoria de Promoção ao Desenvolvimento Sustentável da Funai quando, em junho de 2013, foi escolhida substituta provisória da então presidenta da fundação, a antropóloga Marta Azevedo, que deixou o cargo alegando motivos de saúde.

O período em que Maria Augusta passou à frente da Funai foi marcado pelo acirramento da disputa entre os que defendem o fortalecimento dos direitos indígenas e setores que querem flexibilizar a legislação de proteção. Durante audiência pública no Congresso Nacional, por exemplo, Maria Augusta classificou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215, que transfere para o Congresso Nacional a competência da União para demarcar terras indígenas, como uma medida “descabida” e que representa um “retrocesso do ponto de vista da demarcação de terras”.

Além disso, por orientação do próprio governo federal, a Funai paralisou os processos demarcatórios em lugares com conflito entre índios e produtores rurais. No último relatório, divulgado em julho passado, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) disse que, ao menos, 30 processos demarcatórios estão sem conclusão pela Funai, apesar de não haver pendência administrativa ou judicial que impeça a homologação. Além disso, pelo menos 53 índios foram assassinados no ano passado em conflitos, diretos ou indiretos, por disputa de terra.

A Agência Brasil procurou o Ministério da Justiça para saber se o futuro presidente da fundação já foi escolhido, mas o ministério não se pronunciou sobre o assunto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATO OU FAKE - FRIO
Nova onda de frio?, fato ou fake, confira a previsão
FÁTIMA DO SUL - ORLA TCHAU FRIO!!!
TCHAU FRIO: Nova onda de calor deve chegar na próxima semana, confira a previsão
Bombeiros controlam incêndio no carro do motorista de aplicativo  Foto: José Aparecido/TV Morena POR POUCO
Motorista de aplicativo sequestrado é tirado de porta-malas antes de carro ser tomado por chamas
FÁTIMA DO SUL - CIA DO BICHO
Entenda o que é cinomose e como proteger seu melhor amigo, a Cia do Bicho te dá às dicas
DEPUTADA MARA CASEIRO AÇÕES DEPUTADA MARA CASEIRO
Construção de novas instalações para o quartel da Polícia Militar de Chapadão do Sul é reivindicado
MARA CASEIRO AÇÕES DEPUTADA MARA CASEIRO
Agosto Lilás: Deputada Mara aborda representatividade feminina na política
DEPUTADO COM COVID
Diagnosticado com Covid-19, Barbosinha passa bem e cumpre quarentena em casa
ÓTICA DOURADOS - DIA DOS PAIS
Dia dos Pais chegando, a Ótica Dourados traz as melhores tecnologias do mercado em armações e lentes
CONCURSO PÚBLICO
Governo de MS abre novo concurso para professores
CORONAVÍRUS EM MS
Prosseguir: coletiva de imprensa híbrida será realizada nesta terça-feira, às 10h15