Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 28 de novembro de 2020
SADER_FULL
Busca
UNIGRAN DOURADOS
Meio Ambiente

MPE vai à Justiça para Estado cumprir lei e cobrar pelo uso da água

24 Mar 2014 - 17h35Por Campo Grande News

O MPE (Ministério Público Estadual) entrou com ação civil pública na Justiça para que o governo do Estado cumpra legislação que determina instrumento para outorga (concessão) do uso da água e diretrizes para a cobrança pelo uso dos recursos hídricos. O processo tramita desde 20 de março na 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, em Campo Grande.

Antes da ação judicial, o promotor Luiz Antônio Freitas de Almeida fez recomendação à Semac (Secretaria de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia) e ao Conselho Estadual de Recursos Hídricos. Conforme o MPE, terminou o prazo em relação ao conselho, que é presidido pelo secretário estadual de Meio Ambiente, Carlos Alberto Negreiros Said Menezes. Mas, sem resposta, a Justiça foi acionada.

Na recomendação, o promotor citou que “mora estatal em implantar o regime de outorga de recursos hídricos e a cobrança pelo uso da água, instrumentos da política nacional e estadual de recursos hídricos, está cristalizada em quase 17 anos desde a vigência da Lei Federal nº 9.433/97, em quase 12 anos desde a vigência da Lei Estadual nº 2.406/02 e em cerca de três anos da aprovação do plano estadual de recursos hídricos”. Para o Ministério Público, a demora é injustificável.

Ainda conforme a recomendação, sem implantação de outorga, o Estado tem autorizado ambientalmente a perfuração de poços tubulares, conferindo aos exploradores desse recurso o certificado de registro de poço, documento emitido como substituto indevido do regime de outorga.

Ao cobrar o cumprimento das leis e das políticas nacional e estadual de meio ambiente, o promotor levou em consideração que isso visa educar e reforçar a consciência de que a água, cujo acesso é reconhecido como um direito humano é um bem escasso e de valor econômico, de modo que é imprescindível o seu consumo racional e sustentável.

No fim do ano – Titular da Semac, Carlos Alberto Negreiros Said Menezes afirma que respondeu à recomendação do MPE e informou que o Estado está dentro do prazo. “A lei nacional manda que os Estados se aparelhem para emissão de outorga e cobrança do uso da água. Tem uma série de etapas”, diz.

De acordo com o secretário, todo o processo deve ser concluído no fim de 2014. O Estado já constituiu o Conselho de Recursos Hídricos e aprovou lei específica sobre o tema. Depois, é disponibilizado o cadastro de uso da água, cujo sistema foi finalizado.

“Com o cadastro feito, a próxima etapa é o balanço hídrico”, afirma o secretário. Serão conhecidos os usuários, definidas as microbacias e as tarifas para quem explora a água economicamente. “A preocupação do Ministério Público é muito justa, mas estamos dentro dos prazos”, diz o secretário.

Sobre o registro dos poços, Carlos Alberto afirma que o licenciamento ambiental não equivale à outorga. “Os dados são utilizados para a gestão, mas não tem nada a ver com outorga”, justifica.

Cobrança – A gerente de recursos hídricos do Imasul (Instituo de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Angélica Haralampidou, explica que a obrigação do poder público é fazer a outorga do uso da água bruta como insumo, ou seja no processo produtivo, e o sistema estadual de informação de recursos hídricos.

Com a publicação de documento normatizando a outorga, os usuários da água serão chamados em edital para cadastro. Ela enfatiza que isso não se aplica, por exemplo, a pessoa que recebe água tratada em casa. Pois quem fará cadastro é a empresa de saneamento.

“A outorga é o controle da quantidade e qualidade da água. O objetivo é permitir que todo mundo tenha direito de acesso à água”, pondera. A outorga é atribuição do Estado para águas subterrâneas e de rios sob domínio estadual.

Já a cobrança pelo uso da água é atribuição dos comitês de bacias hidrográficas. Os grupos são formados pelo poder público, usuários de água e sociedade civil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h
NAVIRAÍ E TODO MS DE LUTO
Morre deputado estadual Onevan de Matos
Confira quantos eleitores vão às urnas neste domingo em Culturama e Fátima do Sul FÁTIMA DO SUL E CULTURAMA
Confira quantos eleitores vão às urnas neste domingo em Culturama e Fátima do Sul
FALTA DE ENERGIA
Está sem luz? Energisa diz que temporal com '6 mil raios' é responsável por queda de energia
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo do Estado entrega 20 motos BMW para a PM e o Corpo de Bombeiros Militar
CALORZINHO NO MS
Cidade de MS bate recorde histórico de temperatura máxima 44,6 °C