Menu
SADER_FULL
segunda, 30 de novembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SITIOCA ALVORADA
MATO GROSSO DO SUL

Motoristas vão fazer movimento para reduzir pedágio em 50% na BR-163

21 Jan 2014 - 15h46Por Campo Grande News

Com objetivo de reduzir o pedágio da BR-163 em Mato Grosso do Sul, representantes da CNTTT (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres) e de sindicatos regionais do Estado se reúnem em Campo Grande nesta terça-feira (21) para definir estratégias de trabalho. Uma das metas do grupo é produzir um panfleto informativo sobre os valores do pedágio no Estado.

A empresa vencedora da concessão estipulou o valor do pedágio em R$ 4,38 a cada 100 quilômetros e, de acordo com Samir José da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários de Cargas, de Coletivos Intermunicipais e Interestaduais, o valor é o dobro do praticado no estado vizinho Mato Grosso.

“Se levarmos em conta um caminhão bitrem, o valor nos oito pedágios em Mato Grosso do Sul será R$ 344. No Mato Grosso o mesmo trecho fica em R$ 174 e essa diferença é um absurdo que irá encarecer o transporte”, explica Samir.

Da reunião com representantes da CNTTT e de sindicatos de outros estados, os sindicalistas pretendem produzir um material informativo que deverá ser distribuído tanto das estradas quanto na cidade. “Queremos que o cidadão que não acompanhou a concessão saiba como a situação vai ficar com esses valores altos”, comenta o presidente da federação estadual.

Outro ponto que também será discutido entre o grupo é em relação a levar o documento final do encontro até o Governo do Estado e os parlamentares. Na época do certame, o Governo comemorou o valor final do contrato, que chegou a um deságio de 52,74%, considerado o maior dos últimos leilões de rodovias.

“Queremos explicações por que esse valor anunciado em Mato Grosso do Sul será tão alto, principalmente em comparação com o estado vizinho. Se teve tanta comemoração do governo, precisamos de uma resposta”, completa Samir.

Descanso obrigatório – Outro assunto que entrará na pauta da discussão entre os sindicalistas será a Lei do Motorista, sancionada pela Presidente Dilma Rousseff em abril do ano passado.

A revolta da CNTTT é com relação à atitude de grupos ligados ao agronegócio que já sinalizaram uma oposição à lei. O secretário geral da confederação, Jaime Bueno, explica que a regulamentação da profissão que definiu carga horária para motoristas profissionais e pausas para descanso agora é questionada.

“Nós passamos quatro anos conversando sobre a lei inclusive com representantes do agronegócio. Estava tudo certo, e mesmo com o veto da presidente em 19 pontos, consideramos a lei excelente. Agora o setor do agronegócio irá recorrer ao Congresso Nacional para derrubar a lei”, explica Jaime.

Na lei aprovada e que já está em vigor, os motoristas devem dirigir por no máximo quatro horas e fazer uma pausa para um descanso de 30 minutos. De um dia para o outro, os motoristas devem dormir pelo menos 11 horas.

Uma comissão formada por representantes do agronegócio quer que a carga horária aumente, segundo o secretário da CNTTT.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
EMPREGO E RENDA
Cerca de 5 mil indígenas de MS são contratados por empresas de SC e RS para a colheita da maçã
MIRANDA - MS - PROJETO SALOBRA
Mais uma parceria CRAS e Projeto Salobra, em Miranda
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h
NAVIRAÍ E TODO MS DE LUTO
Morre deputado estadual Onevan de Matos