Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 2 de dezembro de 2020
SADER_FULL
Busca
JUNINHO DENTISTA NOVO
Cidades

Governador de Sergipe Marcelo Déda morre em São Paulo, aos 53 anos

2 Dez 2013 - 07h45Por Terra
Morreu na madrugada desta segunda-feira o governador do Sergipe Marcelo Déda (PT), que lutava contra um câncer de estômago no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A equipe médica retratou uma piora significativa no quadro de saúde do político nos últimos dias e hoje, às 4h30, Déda não resistiu e morreu.

O governador foi internado no dia 27 de maio para tratamento de neoplasia gastrointestinal, com quadro de dificuldade alimentar, e estava licenciado do cargo desde então. No último dia 29 de junho, Déda foi submetido a uma cirurgia para extração do baço, cujo procedimento ocorreu de forma satisfatória, deixando a UTI no dia 6 de julho e recebendo alta-médica do hospital Sírio-Libanês no dia 24 daquele mês. Apesar da alta, as sessões de quimioterapia continuaram e o governador não resistiu às complicações de saúde.

Segundo nota oficial do governo do Sergipe, o corpo do governador será velado no Palácio-Museu Olímpio Campos, em Aracaju. O governo deve anunciar ainda hoje as datas e horários do velório e sepultamento.

Marcelo Déda tinha 53 anos, deixa cinco filhos, sendo três filhas do primeiro casamento e outros dois filhos, frutos de sua união com a repórter-fotográfica, Eliane Aquino, primeira-dama e secretária de Inclusão Social.

Ainda durante a madrugada, os amigos do governador começaram a prestar suas homenagens por meio das redes sociais. O ex-presidente do PT, José Eduardo Dutra, relatou como recebeu a notícia da morte do amigo. "Hoje, o telefone tocou novamente. E a dor é tão grande quanto naquele dia. Só que agora não tem ninguém pra me consolar. Adeus , meu amigo!"

 

 

O presidente nacional de juventude do PT, Jefferson Lima, aproveitou para falar da liderança do político no Estado e no País.

O governador foi atendido pelas equipes dos médicos Paulo Hoff, Raul Cutait e Roberto Kalil Filho.

Amigos lamentam a morte pelas redes sociais
O ator José de Abreu foi um dos primeiros a lamentar a morte do governador petista:

O Twitter oficial de Marcelo Déda postou uma homenagem ao político:

O ex-presidente do PT, José Eduardo Dutra, falou sobre a amizade dos dois e como ele recebeu a notícia:

Trajetória política
Advogado formado pela Universidade Federal de Sergipe, o político estava no segundo mandato. No seu lugar assumirá o vice-governador, Jackson Barreto, do PMDB.

Natural do município de Simão Dias, Déda milita na política desde a década de 70, nos movimentos secundaristas, quando conheceu o então dirigente sindical Luiz Inácio Lula da Silva. Militante do Partido dos Trabalhadores (PT), no início dos anos 1980, Marcelo Déda foi fundamental na consolidação da legenda no Estado.

Em 1985, o PT decidiu lançar o nome de Déda para concorrer às eleições municipais de Aracaju, com o objetivo de se firmar como um partido nacional. Na eleição municipal, mesmo com recursos para a confecção de 5 mil cartazes, Déda ficou em segundo lugar com quase 19 mil votos. Logo em seguida foi eleito deputado federal por Sergipe.

Um ano depois, ele foi eleito deputado estadual com mais de 32 mil votos. O revés eleitoral ocorreu em 1990, quando tentou se reeleger para uma das cadeiras da Assembleia Legislativa. Acusado de ter priorizado as atividades legislativas em detrimento dos movimentos sociais, Marcelo Déda obteve 10% dos 33 mil votos que o elegeram em 1986.

Em 1994, foi eleito para a Câmara dos Deputados e, em 2000, conquistou o primeiro mandato de prefeito de Aracaju referendado por 52,8% dos votos válidos. Reeleito em 2004, Déda começou a consolidar a trajetória política para a candidatura ao governo de Sergipe.

 

Em 2006, deixou a prefeitura de Aracaju para se candidatar ao comando do Estado. Eleito em primeiro turno com 52% dos votos, Déda investiu em infraestrutura no interior do estado.

Em entrevista durante a campanha à reeleição, Marcelo Déda disse que o foco de seu governo no segundo mandato - 2010 a 2014 - seria o combate à violência, o aprofundamento das políticas sociais e a continuidade das obras de infraestrutura iniciadas em 2006.

 

Marcelo Déda recebendo a presidente em seu quarto no hospital durante o tratamento contra o câncer Foto: Arquivo Pessoal / Secretaria de Comunicação Social do Sergipe / Divulgação Marcelo Déda recebendo a presidente em seu quarto no hospital durante o tratamento contra o câncer Foto: Arquivo Pessoal / Secretaria de Comunicação Social do Sergipe / Divulgação

Deixe seu Comentário

Leia Também

CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
EMPREGO E RENDA
Cerca de 5 mil indígenas de MS são contratados por empresas de SC e RS para a colheita da maçã
MIRANDA - MS - PROJETO SALOBRA
Mais uma parceria CRAS e Projeto Salobra, em Miranda
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h
NAVIRAÍ E TODO MS DE LUTO
Morre deputado estadual Onevan de Matos