Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 5 de dezembro de 2020
SADER_FULL
Busca
CIA DO BICHO
Sidrolândia

Ex-funcionários acampam em usina desativada em Sidrolândia

Trabalhadores querem receber salários e reivindicam divisão de terras.

31 Out 2013 - 10h14Por G1

Cerca de 400 ex-funcionários estão acampados na usina sucroenergética Agrisul Agrícola unidade de Mato Grosso do Sul, no distrito de Quebra Coco, em Sidrolândia, a 70 km de Campo Grande, desde sábado (26). Conforme a reportagem do Bom Dia MS desta quarta-feira (30), os trabalhadores reivindicam os pagamentos de dívidas trabalhistas e o acerto de salários vencidos, além da divisão das terras de uma área de sete mil hectares, onde a cana-de-açúcar foi cultivada. A empresa está desativada.

A usina pertece ao grupo Companhia Brasileira de Açúcar e Álcool (CBAA) desde 1996. O advogado da empresa, Gil Brito, informou que a unidade fez um acordo com os trabalhadores e com a Justiça do Trabalho. Segundo Brito, os salários serão pagos com a venda da cana para uma usina de Nova Alvorada do Sul e o pagamento deve começar ainda nesta semana.

Ainda segundo Brito, a direção da empresa deixou de moer a cana-de-açúcar nesta safra para vender as cerca de 120 mil toneladas que seriam colhidas pela Agrisul e enviadas para Nova Alvorada do Sul.

A ex-funcionária Rosangela Moreira Santos foi demitida há cinco meses e integra o grupo que ocupa a usina. Ela diz que não recebeu salário em três meses que trabalhou e também deixou de ter a segunda parcela do 13º salário de 2012, além da verba rescisória. A mulher pede na Justiça R$ 70 mil de indenização.

A usina tinha produção diária de quatro mil toneladas de cana-de-açúcar moída e parou de funcionar há cerca de um ano. Segundo os funcionários, os atrasos de salários e pagamentos de direitos trabalhistas começaram antes da desativação, há cinco anos. A unidade sucroenergética empregava duas mil pessoas na área industrial e no campo.

Também ex-funcionário, Osmar Copatti trabalhou na empresa por sete anos e foi demitido em abril de 2013. Ele diz que tentou negociar para receber os benefícios trabalhistas, mas não teve sucesso. Pela rescisão contratual, ele deveria receber R$ 7,5 mil, mas atualmente esse valor gira em torno de R$ 60 mil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS EM MS
Prosseguir: Governo volta a registrar municípios em grau de risco extremo
CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
EMPREGO E RENDA
Cerca de 5 mil indígenas de MS são contratados por empresas de SC e RS para a colheita da maçã
MIRANDA - MS - PROJETO SALOBRA
Mais uma parceria CRAS e Projeto Salobra, em Miranda
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h