Menu
SADER_FULL
sexta, 7 de agosto de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
BANNER ECO TOUR
LUTA NA LINHA DE FRENTE

Covid mata primeiro médico no MS e sua memória vira árvore florida em frente de hospital

Covid mata primeiro médico no MS e sua memória vira árvore florida em frente de hospital

1 Jul 2020 - 22h04Por LUPA NEWS - ELIAS FERREIRA

Miguel Yoneda, 74 anos, é o primeiro médico morto pelo novo coronavírus em Mato Grosso do Sul. Miguelito, como ele gostava de ser chamado, morreu na madrugada desta quarta-feira (1º) no Hospital Universitário (HU), de Dourados. No final da manhã, um grupo de voluntárias plantou uma árvore, já florida, no jardim do Hospital da Vida , onde ele dava plantão – para eternizar a memória do médico. O ato foi acompanhado pela diretoria do hospital.

Na UTI há vários dias, Miguel Yoneda era um dos seis médicos infectados pelo novo coronavírus que estavam hospitalizados em Dourados, epicentro da doença em Mato Grosso do Sul com 1.536 casos positivos e 25 mortes até ontem, conforme informou o Campograndenews.

Os dados oficiais até agora indicam 85 óbitos pela doença. O do médico vai passar a fazer parte das estatísticas nesta sexta-feira (2).Acima, árvore florida plantada no jardim do HV em Dourados, em memória do médico Miguel Yoneda. Abaixo, “Miguelito” com alunos  em Londrina, onde foi professor de Medicina na UEL – Fotos: Cido Costa e CRM-PR

Morador em Ponta Porã, Miguel Yoneda atendia na cidade fronteiriça e também no Hospital da Vida (HV), em Dourados, onde vários profissionais de saúde já foram infectados pelo coronavírus.

Miguelito já estava aposentado, mas voltou a dar plantões para custear os estudos de sua filha, que está cursando medicina. Antes, ele foi médico e professor no Estado do Paraná, onde ministrou aulas na Universidade Estadual de Londrina(UEL), tendo sido inclusive paraninfo de turma.

O médico radiologista Vander Caetano Vieira conviveu profissionalmente com Yoneda e lamentou nas redes sociais sua morte. Ele atestou que o médico tinha uma relação de companheirismo com os colegas e uma forma didática de tratar os pacientes. “Como médico tinha alma de professor”, comentou Vander.

PARANÁ LAMENTA MORTE

A Diretoria do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM/PR) lamentou mais uma perda na Medicina e solidarizou-se com os familiares e amigos do médico, que era especialista em cirurgia geral e medicina do trabalho e atuou no Paraná de setembro de 1973 até 2017, onde deixou legião de amigos, admiradores e também discípulos na atividade.

O médico tinha quase 50 anos de atividade médica e registro nos Conselho de Medicina do Paraná (CRM-PR 3.535), Rio de Janeiro (146.650), onde se formou, Minas Gerais (6.807) e Mato Grosso do Sul (9.256), onde estava desde janeiro de 2017, após deixar Londrina, no Paraná, onde foi docente da UEL e plantonista do Hospital Universitário. Os CFM e os Conselhos de Medicina dos estados onde ele atuou manifestaram pesar pelo falecimento, assim como o Colegiado de Medicina da Universidade Estadual de

NOTA DE PESAR DE LONDRINA

“O Colegiado de Medicina da Universidade Estadual de Londrina lamenta profundamente o falecimento do nosso ex-professor, Dr. Miguel Yoneda, que aconteceu na madrugada de hoje (/7) em Dourados (MS).

O Dr. Miguel foi docente e plantonista do Pronto-Socorro Cirúrgico do HU/UEL durante muitos anos e foi modelo de profissional e docente para várias turmas de Medicina e de Fisioterapia desta escola. Não era nada incomum encontrá-lo dando aula aos internos e residentes do PSC em plena madrugada, cobrindo todas as superfícies possíveis com suas explicações e esboços de cirurgias às 3h da manhã. Tanta dedicação e amor à profissão lhe rendeu inúmeras homenagens durante a carreira, inclusive tendo sido o nome da 47a Turma de Medicina da UEL, formada em 1999.

O Dr. Miguel era aposentado da UEL e residia em Ponta Porã/MS. Estava internado no Hospital Universitário de Dourados há mais de 20 dias por COVID-19, e foi o primeiro médico a falecer dessa doença no Estado do Mato Grosso do Sul.

Os docentes e alunos da Medicina da UEL expressam seu mais profundo pesar e solidariedade aos familiares do Dr. Miguel Yoneda neste momento difícil. Com certeza, ele será lembrado com saudades por todos que o conheceram”.

ÁRVORE COMO SÍMBOLO

Em  memória do médico Miguel Yoneda foi plantado na manhã desta quarta-feira (1), uma árvore florida em frente ao Hospital da Vida, onde Yoneda atuava como plantonista.

Preocupado em salvar vidas, o médico dispensou a oportunidade de ficar em casa, por ser do grupo de risco, para estar na linha de frente contra a pandemia. Ele residia em Ponta Porã e Dourados. O óbito ocorreu por volta das 2h.

De acordo com o Douradosagora, a homenagem ao médico foi feita pelas advogadas Helena Izidoro e Shirley, membros do grupo ‘Movimento pela Vida’ e também teve participação do médico Raul Espínoza, diretor clínico do HV, que representou os demais colegas de “Miguelito” .

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID 19 EM BATAYPORÃ
Em um mês, Covid-19 já matou mais do que a Influenza em 12 anos no MS
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe e padrasto de uma adolescente de 12 anos são autuados por estupro de vulnerável
DOURADOS - 61 MORTES
Com mais dois registros, número de óbito em Dourados chega a 61
DOURADOS - DIREITO DA UNIGRAN
Professor de Direito da UNIGRAN lança um dos primeiros livros sobre a Lei da Pandemia
AUMENTO
Gasolina tem nova alta em Dourados e valor do litro já chega a R$ 4,59
ENTREVISTA
Barbosinha sinaliza receita doméstica para boa gestão
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Primeira semana de agosto tem 632 vagas de emprego na Funtrab
DOURADOS - 57 MORTES
Dourados confirma o 57º óbito e chega a 4.357 casos registrados desde o início da pandemia
DOURADOS - PESQUISA
PESQUISA: Barbosinha lidera com ampla vantagem para Prefeito de Dourados, Veja os números
DOURADOS - 55 MORTES
Idoso morre com coronavírus em hospital e Dourados chega a 55 óbitos pela doença