Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 4 de dezembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SITIOCA ALVORADA
caso da indenização

Dona Dilá ainda não recebeu R$ 150 mil da indenização e nem satisfações de Bernal

23 Out 2013 - 17h19Por Mídia Max
O caso da indenização por danos morais que envolve Dilá Dirce de Souza, a Dona Dilá, continua sem solução no Judiciário estadual. Até agora o advogado que representa a aposentada, Rubens Pereira de Deus, não obteve a ordem judicial para retirar do processo o cheque no valor de R$ 150 mil, que ela necessita para fazer uma terceira cirurgia reparadora.

Em 1999, Dona Dilá foi atropelada por um caminhão de lixo da Vega Ambiental no lixão de Campo Grande, fato que deixou sequelas graves na ex-catadora, que já se submeteu a duas cirurgias.

Por meio do advogado contratado por ela na ocasião, Alcides Bernal, agora prefeito da capital, Dona Dilá obteve sentenças favoráveis para a realização de uma cirurgia de colocação de prótese na cabeça do fêmur, que chegou a necrosar por causa da longa espera das decisões judiciais, em função dos recursos da Vega.

Bernal deixou o caso em 2007, e desde então a aposentada não recebia notícias do andamento de duas ações, uma para custear o tratamento médico, e outra por danos morais. Essa segunda ação com os R$ 150 mil depositados na conta só foi descoberta em abril deste ano, quando a ex-catadora contratou o outro advogado, Rubens Pereira.

Sem receber a indenização, até agora Dona Dilá também não tem mãos a prestação de contas dos gastos relativos ao dinheiro sacado por Bernal para o tratamento médico, que hoje chegariam a R$ 160 mil, segundo Rubens Pereira.

Além disso, depois da repercussão do caso em nível nacional, Bernal passou a cobrar na Justiça os seus honorários de Dona Dilá. No último dia 9, o juiz Wagner Mansur Saad, mandou devolver a ação de Bernal para o setor de distribuição de processos.

“Os aqui requerentes querem a distribuição, por dependência, de pedido para arbitramento de honorários, em relação a processo já sentenciado e com transito em julgado. Não se trata de nenhuma das hipóteses legais para que seja desconsiderada a distribuição ao juízo natural. Portanto, com as anotações, retornem à Distribuição para que seja atribuído a um dos demais juízos com competências sobre a matéria”, decidiu o juiz.

Dessa forma, o outro processo por danos morais de dona Dilá, de nº 001.01.054768-0 e já julgado continua em mãos do mesmo juiz Wagner Mansur Saad, que pode determinar a liberação do recurso, mas ainda não o fez.

Desde ontem (23), a Corregedoria do TJ também acompanha o caso.

Divulgação
 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS EM MS
Prosseguir: Governo volta a registrar municípios em grau de risco extremo
CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
EMPREGO E RENDA
Cerca de 5 mil indígenas de MS são contratados por empresas de SC e RS para a colheita da maçã
MIRANDA - MS - PROJETO SALOBRA
Mais uma parceria CRAS e Projeto Salobra, em Miranda
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h