Menu
SADER_FULL
terça, 11 de agosto de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Brasil tem 269 distritos em condições de separação do município-sede

11 Nov 2013 - 13h26Por Folha

Conforme as novas regras para a criação de municípios, normas que devem ser ratificadas nesta semana pelo Planalto, 269 distritos do país têm hoje a população mínima exigida para iniciar um processo de emancipação.

Desses, porém, só 16 têm mais habitantes do que o restante do município -o que aumenta as chances de ter votos para vencer o plebiscito, etapa final do processo.

O levantamento foi feito pela Folha com base nos dados dos 5.565 municípios do país, divulgados no último Censo do IBGE. Em média, cada um tem dois distritos.

A partir daí, a reportagem verificou quais deles se encaixam nas novas regras. Entre as exigências, o projeto aprovado em outubro determina uma população mínima para criação de novas cidades: 12 mil nas regiões Sul e Sudeste, 8.400 no Nordeste, 6 mil no Norte e Centro-Oeste.

Editoria de Arte/Folhapress

Outras regras incluem a promoção de estudos de viabilidade técnica e de plebiscito envolvendo moradores do distrito e da cidade-sede.

CANDIDATOS

Dos 16 distritos com mais chance de emancipação, ao menos seis já tentam se transformar em municípios. Apontam como razões a distância em relação à sede, falta de recursos e até identificação maior entre moradores.

Em Sumaré (SP), moradores de Nova Veneza, distrito com 140 mil habitantes, reclamam que não recebem repasses da prefeitura e que, quando precisam de serviços, recorrem a Campinas.

"Nada do que é arrecadado aqui vem para o distrito", diz o comerciante Dirceu Ramalho, 50, um dos articuladores da separação.

Em Justinópolis (MG), moradores querem se separar de Ribeirão das Neves, na Grande BH, e deixar de viver na "capital dos presídios". Já reuniram 15 mil assinaturas -querem chegar a 22 mil.

Para o presidente da comissão pela separação, Janus José, vencer um plebiscito seria fácil -o distrito tem 160 mil habitantes, e o restante da cidade, 130 mil.

Na Bahia, além de população maior que a sede, a distância geográfica é bandeira dos candidatos a cidades.

Como em Nova Viçosa, onde até o prefeito Márvio Mendes (PMDB) apoia a emancipação de Posto da Mata, distrito a 90 km da sede. Motivo: ele vive lá há 35 anos -e pensa em eleição. "Nova Viçosa não ficaria abandonada", diz.

Para Paulo Ziulkoski, presidente da Confederação Nacional de Municípios, exigir um plebiscito pode travar a formação de novas cidades.

"Foi o que se viu no Pará, em 2011, quando a população não aceitou a divisão em dois Estados", afirma.

Ele diz que a emancipação pode ser positiva nos casos em que o distrito fica longe da cidade-sede. E defende que as regras deveriam prever distâncias mínimas entre o novo município e o anterior, o que não ocorre. "Senão cria a indústria da emancipação."

Para o economista Guilherme Mercês, a separação não é garantia de desenvolvimento. A saída, afirma, poderia ser uma gestão descentralizada. "Prover melhores serviços é questão de gestão, não de tamanho ou quantidade de municípios", diz.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Estado autoriza obras nas rodovias Guaíra Porã e MS-290, em Iguatemi
HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo do dia: a previsão de hoje (11/8) para o seu signo
HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo desta terça-feira 11 de agosto de 2020
ALERTA NA PANDEMIA
Médica explica por que o coronavírus é devastador em pacientes cardíacos
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ?, Ganhadores do Nota MS Premiada têm até dia 14 para fazer cadastramento
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Investimento em parques industriais acelera geração de empregos em MS
VÍTIMA DE COVID-19 EM MS
Vice-prefeita morre com coronavírus em MS
GLÓRIA A DEUS
Recém-nascido tratado no Hospital Regional vence a Covid-19
HORÓSCOPO DE HOJE
Horóscopo: Confira a previsão de hoje (08/08) para seu signo
AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Servidor de MS tem descontos de 3% a 30% no comércio da Capital para presentear no Dia dos Pais