Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 2 de dezembro de 2020
SADER_FULL
Busca
SITIOCA ALVORADA
MEIO AMBIENTE

Audiência debate a qualidade da água no Rio Dourados

27 Mar 2014 - 18h00

A qualidade da água do rio que abastece Dourados e municípios vizinhos está em debate. Primeiro o Ministério Público Federal (MPF/MS) ajuizou ação pedindo que fosse determinada a análise da água do Rio Dourados, após receber laudos que atestavam presença de agrotóxicos em valores acima do permitido. Agora será a vez da sociedade discutir o que há por trás disso tudo.

Pelo menos é o que prevê uma audiência pública proposta pelo vereador Elias Ishy (PT) para discutir este assunto, no dia 5 de junho, às 19 horas, na Câmara Municipal.

De acordo com o vereador, a ideia é buscar alternativas para diminuir a contaminação da bacia do Rio Dourados. Para isso, ele convoca a participação de toda a sociedade envolvida, de Dourados e de municípios abastecidos pelo mesmo rio.

Com a audiência em junho, Ishy espera dar início a um amplo debate para com o Ministério Público Federal, a Sanesul, responsável pelo abastecimento, e gestores públicos municipais das cidades atendidas pelo Rio Dourados.

O diretor-presidente da Sanesul, José Carlos Barbosa, afirmou à imprensa que a água distribuída pela empresa atende aos mais rigorosos padrões de qualidade e não seria contaminada por agrotóxico.

Ação

O MPF em Dourados ajuizou ação para determinar a análise da água do Rio Dourados, após receber laudos que atestavam presença de agrotóxicos em valores acima do permitido. Foi encontrada a presença do agrotóxico clorpirifós etílico - inseticida, pesticida e formicida, classificado como altamente tóxico pela Anvisa - e o temefós - larvicida comumente utilizado contra proliferação de mosquitos. Não só o consumo de água com estes produtos é prejudicial à saúde, como também afeta a alimentação dos peixes do rio, que concentram altos níveis das substâncias nocivas.

A Justiça determinou a análise da água do Rio Dourados e também das fontes subterrâneas da região. O objetivo é apurar possível relação entre a contaminação da água por resíduos de agrotóxicos provenientes das lavouras e a saúde dos moradores do município.

No entanto, dos 27 agrotóxicos listados na Portaria nº 2914/2011 do Ministério da Saúde, o laboratório do Instituto Evandro Chagas, responsável pelos exames do Vigiagua, vigilância da qualidade da água para consumo humano no país, analisa a presença de apenas 15 substâncias nas amostras colhidas. O MPF quer que outro laboratório, com mais tecnologia, faça esse estudo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
EMPREGO E RENDA
Cerca de 5 mil indígenas de MS são contratados por empresas de SC e RS para a colheita da maçã
MIRANDA - MS - PROJETO SALOBRA
Mais uma parceria CRAS e Projeto Salobra, em Miranda
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h
NAVIRAÍ E TODO MS DE LUTO
Morre deputado estadual Onevan de Matos