Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 4 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Zeca manda ampliar cota de exportações de milho e sorgo

28 Jul 2004 - 10h53
O governador Zeca do PT, atendendo reivindicações feitas pela Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), determinou à Secretaria de Receita e Controle a ampliação da cota de exportações de milho e sorgo, com liberação da equivalência, que obriga o recolhimento de tributos incidentes sobre igual volume exportado.

A medida permite a exportação de até 500 mil toneladas de milho e 100 mil toneladas de sorgo. A medida também favorece o sistema de armazenamento, que ganha espaço para os grãos destinados à comercialização futura, tanto no mercado interno quanto externo.

O secretário de Receita e Controle, José Ricardo Cabral, já expediu ofício-circular às cooperativas, cerealistas e indústrias moageiras informando sobre a desoneração sem a chamada equivalência.

Para a Famasul, que trabalha coma expectativa de potencial de produção em torno de 2 milhões de toneladas de milho nesta safra de inverno, a medida é fundamental. Segundo o presidente da entidade, Leôncio de Souza Brito Brito Filho, os produtores estão satisfeitos e agradecem a rápida decisão, tomada pelo governo uma semana depois do pedido ser feito. A reivindicação foi apresentada na quarta-feira passada, durante o lançamento do Plano Safra, na Casa do Produtor.

O presidente da Comissão de Agricultura e vice-presidente da Famasul, Ari Basso, nota que o Estado não perde receita, já que pelas regras da Lei Kandir, haverá compensação. A não-antecipação do ICMS pelo período estipulado, na avaliação da Famasul, capitaliza os produtores, além de assegurar melhores preços de mercado em função do controle dos estoques. “Ao produtor, as exportações são a garantia do equilíbrio de mercado. Sem excesso de produtos, temos a garantia de preços justos”, analisa.

No ofício-circular expedido às cerealistas, indústrias moageiras e cooperativas, o secretário José Ricardo Cabral observa que a autorização determinada pelo governador Zeca do PT contempla empresas detentoras do regime especial previsto no Decreto nº 9.833, de 1º de março de 2000. Essas empresas podem exportar diretamente ou mediante remessa sem o compromisso de que trata a alínea “d” do inciso I do artigo 4º do Decreto nº 9.833, de 1º de março de 2000.

As empresas que pretendem realizar essas operações, segundo o secretário de Receita e Controle, deverão se dirigir à Superintendência de Administração Tributária para obterem a permissão sob as condições acordadas pelo governo e produtores, ou seja, sem a “equivalência” e até o volume de 500 mil toneladas de milho e 100 mil toneladas de sorgo.
 
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREVENÇÃO COVID 19
Giovanna Antonelli viraliza ao mostrar truque para evitar contaminação
FEMINICÍDIO
Marido é preso após matar mulher asfixiada e na fuga causa acidente de carro e deixa 08 feridos
BORA PRA BONITO - MS - REABERTO
Hotel Águas de Bonito reabre com segurança e estrutura proporcionada para o aconchego em Bonito (MS)
BRASIL - 62.045 MORTES
Brasil passa de 62 mil mortes pelo novo coronavírus
COISA MEDONHA
Homem quebra túmulo e é visto dançando com o corpo da avó
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Exército abre seleção com vagas temporárias para MS e salários de até R$ 7,5 mil
FÁTIMA DO SUL - NOSSOS ANJOS DA GUARDA
Guerreiros de Fátima do Sul fazem semana de prevenção contra incêndio, hoje é dia do BOMBEIRO
BRASIL 60 MIL MORTES
Brasil tem 1.456.969 casos de Covid-19, aponta consórcio de veículos da imprensa em boletim das 8h
ELEIÇÕES 2020
Câmara dos Deputados aprova em primeiro turno adiamento das eleições municipais de 2020
100 INTERMEDIÁRIO
Venda direta de etanol das usinas para postos pode aumentar concorrência, diz Bolsonaro