Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 19 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Vítima que levou cinco tiros de ex-marido revela detalhes da tentativa de homicídio

25 Mai 2011 - 11h03Por Midia Max

Ainda internada na Santa Casa de Campo Grande, Patrícia Oliveira Guimarães, 31 anos, prestou seu primeiro depoimento para a polícia depois que seu ex-marido, Márcio Leão Cavalcante, 28 anos, atirou contra ela no dia 14 de maio. Cinco balas explosivas a atingiram em órgãos importantes, mas ela sobreviveu depois de dias em coma.

Por telefone, a reportagem conversou com Patrícia na tarde desta terça-feira (24). Ainda bastante debilitada, ela contou como foi que o ex-marido a atraiu para uma "conversa a sós", que, na verdade, acabou na tentativa de homicídio. Ele disparou cinco tiros que a atingiram em órgãos importantes, entre eles o fígado que ficou praticamente destruído.

Patrícia conta que naquele sábado Márcio foi até a casa de sua avó no Jardim Monumento e foi recebido pelo padrasto dela, Edmilson. Na negativa de que a moça estava na casa, o ex-marido ligou para o celular dela, que também negou estar na residência.

Márcio acabou convencendo Edmilson a conversar com Patrícia e o padrasto acabou a convencendo a conversar com o ex, porém toda a família, inclusive o filho do casal, foi com ela ao encontro de Márcio, que estava em frente à casa.

“Eu senti alguma coisa que não consigo explicar que me segurava dentro de casa. Estava com uma sensação ruim de algo estava para acontecer”, recorda-se.

Quando Patrícia chegou com a família. Márcio disse que podiam deixá-la a sós com ele porque sua intenção era apenas conversar com a moça. “ele disse que eles podiam ficar tranqüilos. Que não ia me agredir, só queria conversar, mas eu estava com uma angústia que não sabia explicar”, lembra.

Depois do pedido de Márcio a família entrou na casa, menos o filho do casal. Patrícia detalha que o ex pediu desculpas por tudo de errado que já tinha feito contra ela, inclusive as agressões físicas praticadas três dias antes.

O ex-casal passou a conversar noutro lugar: Márcio dentro do carro e Patrícia do lado de fora. Neste momento seu ex-companheiro mandou a criança entrar na casa. Temendo por algo que não sabia exatamente, a moça pediu para que ele saísse do veículo.

Quando ele saiu já foi perguntando se realmente ela não ia aceitá-lo de volta como marido. Ela disse que não. Foi quando o autor saiu do carro e ela rapidamente disse que ia entrar na residência e já voltava.

Quando Patrícia virou as costas Márcio, sem dizer nada, começou a atirar contra ela. Cinco tiros a atingiram. Ela foi socorrida e levada para a Santa Casa onde permanece internada.

Relacionamento

Patrícia relata que teve um relacionamento conturbado com Márcio e que sofreu violência doméstica. Eles têm três filhos e agora as crianças estão aos cuidados de familiares dele. Separados há um ano e três meses, neste período Márcio se casou novamente e nasceu um filho dele com outra moça que engravidou dele.

Sangue

Patrícia está necessitando com urgência de doação de sangue da tipagem O negativo. Interessados em doar podem procurar o setor responsável pela coleta, que fica na santa Casa de Campo Grande. É importante dizer que o sangue é para a paciente Patrícia Oliveira Guimarães, que está internada naquela unidade hospitalar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro
PROVA DO ENEM
Confira as medidas de segurança durante a prova do Enem
SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério
SEUS DIREITOS
Trabalhador afastado por Covid-19 tem direito a auxílio-doença do INSS