Menu
SADER_FULL
sábado, 12 de junho de 2021
Busca
Brasil

Veto a MS e MT, leva a usinas de açúcar e álcool para Goiás

14 Out 2009 - 09h58Por Folha Online

O modelo de zoneamento da cana proposto pelo governo federal vai direcionar a expansão da indústria sucroalcooleira para Goiás, segundo produtores e governo do próprio Estado e de Mato Grosso.

O projeto veta novas plantações em Mato Grosso e em parte de Mato Grosso do Sul. A indústria do setor em Goiás comemora o plano, já que o Estado terá uma das maiores áreas para desenvolvimento entre os principais produtores. O governo de Mato Grosso critica.

Goiás, segundo a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), é o Estado que mais deve crescer no setor no Brasil na próxima safra, seguido por Mato Grosso do Sul. São Paulo, líder do setor no país, tem menos espaço para ampliar suas plantações.

O plano do governo federal restringe o plantio no bioma Amazônia, no Pantanal e na bacia do Alto Paraguai. A polêmica sobre a questão levou o governador André Puccinelli (PMDB-MS) a xingar o ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) há duas semanas.

Para o secretário mato-grossense da Fazenda, Eder Moraes, o zoneamento é uma "intervenção direta" no Estado. Para Moraes, é "bem provável" que investimentos previstos para o Estado migrem para Goiás. Maranhão, Pará e São Paulo também podem ser beneficiados, diz. Caso o texto atual seja mantido, ele pede compensações aos afetados.

Jorge Santos, diretor-executivo do sindicato da indústria sucroalcooleira de Mato Grosso, diz que o Estado está sujeito a perder um polo de produção de álcool na região de Tangará da Serra (230 km de Cuiabá), onde três usinas somariam quase R$ 3 bilhões em investimentos. Para ele, o zoneamento é uma "canetada".

"O assunto vai além de uma disputa política entre Estados."

Segundo a Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul, a restrição pode "inviabilizar" regiões do Estado.

O projeto de lei do zoneamento foi encaminhado pelo governo federal ao Congresso, onde ainda será discutido.

"Canibalizar"

Para o secretário da Agricultura de Goiás, Leonardo Veloso, o Estado "pode tirar um grande proveito" da situação. Diz, porém, que a cana não pode "canibalizar" outras culturas, como a de grãos, e que o Estado precisa achar compradores para a produção.

O apoio ao avanço da cana não é unanimidade no Estado. Em 2006, a Prefeitura de Rio Verde, um importante centro agrícola, sancionou lei que limitou o plantio da cana a 10% da sua área agricultável.

André Rocha, do Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool de Goiás, diz que o zoneamento pode "potencializar" o crescimento que o Estado já apresenta. Para ele, Goiás desponta como a "nova fronteira do álcool", ao lado de Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÓDIGO DE TRÂNSITO
Mudanças no código de trânsito brasileiro e suas implicações para motoristas
ESPORTE PELO MUNDO
Em fase artilheira no Cazaquistão, lateral Bryan, ex-Cruzeiro, valoriza presença e relacionamento
FOTO: Só Notícias / Luan Cordeiro / ASSESSORIA COPA AMÉRICA 2021 - NO BRASIL
COPA AMÉRICA: Confira as 06 Seleções que jogarão na Arena Pantanal
biden vacinas capa 696x487 SOLIDARIEDADE
Biden anuncia que vai mandar vacinas para o Brasil e outros países
FENÔMENO RARO
Junho tem Eclipse Solar, Lua de Morango e dia mais longo do ano
PROTESTOS PELO BRASIL
29M pelo fora Bolsonaro chegou a mais de 200 cidades e ganhou as redes sociais
ATENTADO AO PUDOR
Prostitutas exibem partes íntimas no meio da rua, moradores reclamam, Vídeos
NA BRONCA
Bolsonaro aciona STF contra decretos estaduais que impõem restrições para conter Covid-19
BARBÁRIE
Homem encontra partes do corpo do filho em rio
FENÔMENO RARO
Super Lua de Sangue e Eclipse total acontece nesta quarta