Menu
SADER_FULL
quarta, 3 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Verba sob controle do PMDB deve aumentar 55%

15 Mar 2007 - 17h40

 

Se confirmada a concessão de cinco ministérios pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao partido, o PMDB ganha um acréscimo de 55% no orçamento de investimentos deste ano: de R$ 3,98 bilhões para 6,17 bilhões. No total, a fatia do orçamento sob controle do partido aumenta de R$ 72,9 bilhões (considerando os três ministérios atuais) para R$ 91,6 bilhões, o equivalente a 19,5% do orçamento dos ministérios, excluindo a rolagem da dívida externa.

A verba de investimento sob controle do partido representa 23% do total, sem considerar os investimentos de estatais como Eletrobras, Petrobras e Correios. Os dados foram calculados pela ONG Contas Abertas com base nos dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi).

Dos cinco ministérios entregues ao partido, apenas um, o da Integração Nacional, perdeu recursos para investimento em relação ao ano passado. O maior orçamento é o do Ministério da Saúde, de R$ 49,7 bilhões em 2007, dos quais R$ 3,7 bilhões para investimento.

O Ministério já era do PMDB no primeiro governo, embora estivesse sendo tocado nos últimos meses por um ministro interino, Agenor Álves da Silva, depois que o ministro José Saraiva Felipe deixou o cargo para ser candidato. O indicado agora é o médico José Gomes Temporão, do Rio de Janeiro. Em relação ao ano passado, o orçamento da pasta cresceu 7,7% no total e teve um acréscimo de 13,4% nos recursos disponíveis para investimento.

O PMDB também já controlava os ministérios de Minas e Energia e das Comunicações, cujos titulares (Silas Rondeau e Hélio Costa) continuam os mesmos. As duas pastas ganharam mais recursos neste ano em relação ao ano passado.

O orçamento de Minas e Energia cresceu 12,8%, com aumento de 37% na verba para investimento. O volume de recursos disponíveis para o Ministério das Comunicações teve um aumento de 14,6%, com incremento de 45% para investimento.

O partido ganhou agora o Ministério da Agricultura, com um orçamento total de R$ 8,5 bilhões e R$ 537 milhões para investimento, e o Ministério da Integração Nacional, com um orçamento total de R$ 10 bilhões e R$ 1,6 bilhão para investimento.

A Integração Nacional, que era controlada pelo PSB e agora terá como titular o deputado Geddel Vieira Lima, teve o orçamento de investimento reduzido em 16% em relação ao ano passado, apesar de um acréscimo de 5,7% no volume total de recursos.

A Agricultura, que passará a ser comandada pelo deputado Odílio Balbinotti (PR) como ministro, terá um orçamento 11,5% maior, com um aumento de 18,3% na verba para investimento.

Os novos ministros do PMDB foram anunciados na quarta-feira pelo presidente do partido, Michel Temer. Os novos titulares da Saúde e da Integração Nacional já foram confirmados pelo Planalto, que marcou a posse para esta sexta-feira. O ministro da Agricultura ainda não foi confirmado oficialmente.

 

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Brasil registra mais de 31 mil mortes por covid-19
COISA MEDONHA
Mulher é desenterrada e estuprada um dia após ser sepultada
DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Menino de 9 anos, acidentalmente mata irmã de 7 anos com espingarda
TRAGEDIA NA RODOVIA
Mulher gravida e marido morrem e criança fica ferida em acidente trágico
PANDEMIA CORONAVIROS
Vai ser ''um massacre'', diz ex-diretor da Saúde sobre flexibilizar isolamento
BOA NOTICIA
Bolsonaro diz que auxilio emergencial pode ter quarta parcela, mas pagando menos
PRAZO MÁXIMO
Acordo prevê máximo de 20 dias para análise de auxílio emergencial