Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 29 de maio de 2024
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Busca
Brasil

Vander questiona poder da UFMS na definição da tarifa de ônibus da Capital

21 Fev 2011 - 11h22Por Fátima News com assessoria

Quarta-feira, 16, pouco antes do início da Sessão Extraordinária da Câmara dos Deputados destinada a votar o reajuste do SM, o deputado federal VanderLoubet (PT-MS),voltou a falar sobre a intenção da Prefeitura de Campo Grande de aumentar o valor da tarifa do transporte coletivo para R$ 2,70 ou até mesmo para R$ 2,80. Para o parlamentar, mais uma vez se repete uma prática que tem sido constante na administração atual: a ausência de gestão democrática.

 

“O reajuste dos preços dos serviços públicos deve existir quando necessário, mas deve ser compatível com o nível de renda da população com a qualidade dos serviços.  Mas, o que me causa mais espanto é a Prefeitura praticamente delegar à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) a decisão de definir qual deve ser o novo valor da tarifa de ônibus. 

Nada contra a competência da Universidade e de seus profissionais, que é indiscutível mas uma decisão dessa relevância deveria ser debatida e esclarecida por todos os atores envolvidos e diretamente atingidos”, declarou Vander.

 

Segundo o parlamentar, os técnicos da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), juntamente com a Câmara de Vereadores e representantes da sociedade (empresários do transporte, estudantes, associação de moradores, etc.) é que deveriam estar inteirados dos fatores que são levados em conta na definição das tarifas de ônibus da Capital e não os profissionais da UFMS.   “Em nossa cidade está sobrando impostos e tarifas e faltando democracia e transparência”, destaca o deputado.

 

Vander ainda frisou que Campo Grande não pode continuar a figurar na lista das tarifas mais caras do Brasil (está entre as três mais onerosas) em função da gratuidade destinada aos estudantes e a outros setores da sociedade, pois em outros municípios a extensão da gratuidade é mais ampla e menos restritiva e as tarifas não são tão caras. O deputado voltou a citar o exemplo de Fortaleza (CE) – a tarifa mais barata do Brasil (R$ 1,80) -, onde a gratuidade dos estudantes é restrita a 50% do valor da tarifa, mas o uso do benefício é ilimitado em termos de horários e dias de utilização, independente de haver aula ou não. “O transporte coletivo é um serviço essencial à população e deve ser tratado como tal pelo poder público municipal”, concluiu Vander.

Participe do nosso canal no WhatsApp

Clique no botão abaixo para se juntar ao nosso novo canal do WhatsApp e ficar por dentro das últimas notícias.

Participar

Leia Também

Fotos: PMMS/ BMMS BOMBEIROS DE MS NO RS
Com atuação de equipes dos Bombeiros, PM e Defesa Civil, MS continua a apoiar o Rio Grande do Sul
Xadrez MS
Enxadristas representam Mato Grosso do Sul em competição nacional de base em Natal
Saúde Delicada
O Ator Tony Ramos passa por cirurgia de emergência na cabeça para tratar sangramento cerebral no RJ
Ajude o RS
Culturamense registra a devastação de Lageado durante entrega de 21 toneladas de donativos
Fotos: Saul Schramm BOMBEIROS DE MS EM AÇÃO NO PANTANAL
Para combater incêndios florestais no Pantanal, Governo de MS instala bases dos bombeiros em 13 área

Mais Lidas

FÁTIMA DO SUL EM DESTAQUE
Conhecendo Fátima do Sul com Leandro Santos: Uma viagem cultural pelo Favo de Mel do MS
Fotos: Washington Lima / Fátima Em DiaFÁTIMA DO SUL - REFORMA ILHA DO SOL
Prefeita Ilda Salgado Machado inicia reforma transformadora da Ilha do Sol em Fátima do Sul, ASSISTA
FATIMASSULENSE EM DESTAQUE
Fatimassulense é pódio em mais um rodeio em touros, agora na Expotac 2024
Sósia
Professora acusada de se relacionar com ex-aluno adolescente desabafa
Estátua que seria homenagem para João Carreiro desagradou família / Redes Sociais/Repórter TopFAMÍLIA SE REVOLTA
Família se revolta com homenagem a João Carreiro: 'músicas sem autorização e estátua nada parecida'