Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 30 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Vaiado, Palmeiras perde para o Atlético-GO no dia dos seus 96 anos

27 Ago 2010 - 07h14Por Globo Esporte

A noite armada para ser de festa pelos 96 anos do Palmeiras foi de decepção e melancolia para a torcida. Desentrosado e perdido em campo, o Alviverde perdeu por 3 a 0 para o Atlético-GO, nesta quinta-feira, no Pacaembu.

Elias, autor dos três gols da equipe goiana, foi o responsável por estragar a celebração do time paulista, mandando muitos torcedores para casa mais cedo - o público começou a deixar o estádio aos 30 minutos do segundo tempo. Era como se o bicão comesse, bebesse e ainda levasse o bolo da festa alheia para casa, enquanto os convidados - no caso a torcida - se retirava do salão, sem ter o que comemorar.

Assim, o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari perdeu uma invencibilidade de seis partidas no Campeonato Brasileiro e ainda perdeu uma posição na tabela de classificação - é o 13º, com 20 pontos. Enquanto os poucos torcedores palmeirenses que permaneceram no estádio até os minutos finais do jogo cantavam, os atletas palmeirenses pareciam se arrastar em campo. Após o jogo, Felipão foi curto e grosso:

- O Atlético-GO nos deu um banho de bola - disse na entrevista coletiva. Já o Atlético-GO de René Simões, algoz do Alviverde na Copa do Brasil há pouco mais de três meses, chegou aos 13 pontos e empurrou o rival Goiás para a lanterna da competição.

No próximo domingo, o Palmeiras tenta se recuperar diante do Atlético-MG, outro time que ocupa a zona de rebaixamento no Nacional, em Minas Gerais. Já o Atlético-GO recebe o Avaí, também no domingo, no Serra Dourada.

Elias, o bicão na festa palmeirense

Antes de a bola rolar, a torcida fez sua parte: cantou parabéns, vibrou ao ver no placar que Valdivia seria titular e tentou montar mais um mosaico na arquibancada para homenagear o aniversariante da noite. Mas o Alviverde, que teve sua oitava formação diferente desde que Luiz Felipe Scolari assumiu o time, se mostrou perdido em campo.

Com raras chances de marcar, a equipe paulista se via dependente de Valdivia, que ainda não apresenta a sua melhor forma. Ainda desentrosado, o chileno bem que tentava levar um sorriso ao rosto do torcedor palmeirense com um drible ou um passe preciso. Mas estava difícil até mesmo para quem tem o apelido de “Mago”.

Na última posição do Brasileiro até o início da rodada, o Atlético-GO procurou seguir o que pediu o técnico René Simões. Quando tinha a bola nos pés, avançava com praticamente os dez jogadores de linha. E assim, aos 15 minutos, levou perigo ao gol de Marcos, que barrou o chute de Elias, nome que se transformaria em um pesadelo mais para frente para a defesa palmeirense.

A resposta alviverde veio somente oito minutos depois. Valdivia deu belo passe para Gabriel Silva, que cruzou direitinho pelo lado esquerdo, mas viu Tadeu se atrapalhar e perder a chance de abrir o marcador.

Depois disso, o que se viu foi o desespero pelo lado palmeirense e festa do lado goiano. Aos 28, Gabriel Silva derrubou Thiago Feltri na área. Marcos ainda caiu para o lado certo, mas Elias bateu bem no cantinho esquerdo do arqueiro alviverde e fez 1 a 0.

Nove minutos depois, Elias marcou mais um para o Atlético-GO. Após receber passe de Diguinho dentro da área, o meia bateu cruzado e Marcos aceitou. O placar, então, passou a marcar 2 a 0 para os visitantes. Água no chope da torcida palmeirense, que vaiou o time na saída para o intervalo. A festa estava sem graça para os donos da casa...

Atlético se segura e estraga festa palmeirense

Para tentar recuperar o clima de festa, Felipão fez mudanças na volta para o segundo tempo. O treinador tirou Luan e colocou Ewerthon, e passou Rivaldo para o lado esquerdo, na vaga de Gabriel Silva – Patrik entrou no seu lugar. As mudanças deixaram o Palmeiras mais aceso no jogo, mas o time ainda esbarrava na marcação dos goianos, que defendiam com os 11 jogadores no seu campo.

Quando tinha a bola, o Atlético-GO se arriscava no ataque. Como no lance aos nove minutos, em que Diguinho avançou sem ser contido pela marcação palmeirense desde o meio-campo até o gol do Marcos. No arremate, porém, o meia do time goiano chutou fraco, sem trabalho para o camisa 12 alviverde.

Como na primeira etapa, Valdivia seguia sendo o respiro palmeirense no meio-campo. O camisa 10 ainda conseguiu um bom passe para Rivaldo no lado esquerdo, mas o volante improvisado na lateral falhou na hora do arremate e acabou parando nas mãos de Márcio.

Com o tempo, a torcida palmeirense começou a se mostrar insatisfeita com a situação. Depois de ter vaiado o time na saída para o intervalo, as arquibancadas pediam "vamos jogar bola" e "raça", além do "não é mole não, tem mercenário jogando no Verdão". Com 30 minutos, muitos começaram a deixar o Pacaembu e não viram que Marcos quase levou o terceiro gol, em um chute cruzado de Marcão.

Quem permaneceu no estádio, se calou depois do terceiro gol de Elias. Aos 38 minutos, ele recebeu passe de Anailson e venceu Marcos mais uma vez. Frustração verde, esperança goiana.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGORA É LEI
AGORA É LEI: Prisão de até 05 anos para maus-tratos contra cães ou gatos
PANDEMIA
Covid-19: Brasil tem 142 mil óbitos e 4,74 milhões de casos acumulados
+ CONSUMO
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas