Menu
SADER_FULL
sábado, 31 de julho de 2021
Busca
Brasil

Vai faltar dinheiro para financiar imóveis em 2014

12 Ago 2010 - 06h49Por R7

A procura da classe média pela casa própria vai puxar o crescimento do setor até 2016, mas os recursos da poupança e do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) não serão suficientes para atender à demanda. A Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) diz que até 2014 os recursos disponíveis para construção e produção imobiliária devem superar aquilo que é captado pelas duas fontes.

Luiz Antônio França, presidente da Abecip, diz que o setor tem crescido porque hoje os consumidores têm mais renda, mais emprego, e as perspectivas de crescimento da economia são boas. A segurança jurídica dos financiamentos também animou as construtoras a se voltarem à classe média.

- Nossos estudos mostram que de dois a três anos teremos problemas de captação para o crédito imobiliário, não porque a poupança vai secar, mas porque a demanda será maior que a captação.

Poupança e FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) são as modalidades mais usadas atualmente para emprestar dinheiro aos compradores.

Nas previsões do economista José Roberto Mendonça de Barros, ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, a classe C vai precisar de 1,489 milhão de unidades nos próximos seis anos. Ele descarta uma bolha no mercado, mas reconhece que o setor está bem aquecido.

- A demanda vai continuar crescendo daqui pra frente. Como ficamos 20 anos parados no mercado, hoje a procura por imóveis é muito intensa. Não vejo uma bolha, mas vão faltar recursos.

Pelas estimativas do economista, a demanda imobiliária média entre 2010 e 2016 será mais intensa na classe média, mas crescerá também nas classes A e B. Barros estima que as duas camadas sociais precisem de 50 mil e 178 mil unidades, respectivamente, além do que é produzido hoje.

A ascensão social da baixa renda fará com que a demanda das classes D e E diminua: serão necessárias 348 mil unidades a menos do que é feito atualmente.
Segundo os números mais recentes divulgados pelo Ministério da Fazenda, a classe média deve passar das 113 milhões de pessoas até 2014.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÃOPAINHA
Cachorro toca campainha após ficar trancado fora de casa
SONHO INTERROMPIDO
Ultimo ensaio fotográfico minutos antes de médico sofrer choque e morrer nas vésperas de casamento
OLIMPÍADA
Rebeca é prata e faz história na ginástica olímpica em Tóquio
FENÔMENO DA NATUREZA
Chuva de meteoros será visível na madrugada de quinta para sexta em todo Brasil
A CASA CAIU
Mulheres se unem e surram "valentão" flagrado agredindo ex no meio da rua
CRISE HÍDRICA
Novas fontes preparam MS para a crise hídrica, ressalta governador
ABAIXO DE ZERO
Com -8,6°C, SC registra a menor temperatura do Brasil em 2021, diz Inmet
COVID-19
Em dia de aumento de casos Brasil tem 1.333 óbitos por Covid - 19 nas últimas 24 horas
CONCURSO PÚBLICO
Caixa Econômica convocará 9 mil de concursos e abre mais mil vagas
BRASIL - 550.502 MORTES
Covid-19: país ultrapassa 550 mil mortes e tem 19,7 milhões de casos