Menu
SADER_FULL
quarta, 22 de setembro de 2021
Busca
SAÚDE H1N1

Vacinação contra gripe A vai continuar onde não se atingiu meta

11 Jun 2010 - 06h42Por Midia Max News

Os municípios não atingiram a meta de vacinação contra a influenza A (H1N1) – gripe suína, vão continuar com a aplicação da vacina nos grupos específicos de pessoas em que não houve a quantidade de imunização considerada razoável pelo Ministério da Saúde. Oficialmente, a companha de vacinação termina amanhã (11).

“A orientação é que os municípios continuem vacinando e buscando a cobertura dos grupos e faixas etárias que não alcançaram essa cobertura. Eu estou muito confiante que nós vamos chegar lá”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, em São Paulo.

Até as 19 hora de hoje (10), 77.805.925 pessoas foram vacinadas contra a influenza A (H1N1) – gripe suína. É a maior vacinação já realizada no país, superando os 67 milhões de imunizados contra a rubéola, em 2008. A meta do governo é vacinar 80 milhões de pessoas.

Os 77,8 milhões de vacinados representam 39,3% da população brasileira. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil, proporcionalmente, realizou a maior campanha contra a doença no mundo. Os Estados Unidos, por exemplo, vacinaram 24% de sua população, o México, 20%, a Suíça, 17%, a França, 8%, e a Alemanha, 6%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

HOMICIDIO X SUICÍDIO
Marido mata esposa e tira própria vida; criança de 3 anos pede socorro a vizinho
NEGLIGÊNCIA
Criança de 2 anos ao volante mata prima de 3 anos atropelada
CARROS SEMINOVOS
Como fazer uma boa escolha de veículos seminovos
LUTO NA TV
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos, vítima de câncer
EM DECLINIO
Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas