Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 14 de agosto de 2020
SADER_FULL
Busca
BANNER ECO TOUR
Brasil

Vacinação contra a gripe é prorrogada até o dia 25

5 Mai 2007 - 07h55

Com o objetivo de alcançar a população idosa, residente em locais de difícil acesso, a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, prevista para ser encerrada hoje, foi prorrogada até o dia 25 de maio. O último levantamento da Secretaria de Estado de Saúde (SES), realizado ontem (3), aponta 103.500 pessoas vacinadas, número correspondente a 60% do total da população com mais de 60 anos em Mato Grosso do Sul.

A Campanha teve início no dia 23 de abril com a meta de vacinar 70% dos idosos do país, aproximadamente, 11,2 milhões de pessoas. A gerente técnica da coordenadoria de Imunização da SES, Kátia Mougenot, afirma que em Mato Grosso do Sul, nesses nove anos de realização da campanha, a meta sempre foi alcançada: “o maior desafio é conseguir a homogeneidade da cobertura, fazendo com que todos os municípios atinjam esse alvo”, ressalta.

A vacinação pretende reduzir a incidência da gripe entre os idosos e as complicações respiratórias que podem levar à internação e até mesmo ao óbito. A gerente alerta para a importância da imunização e esclarece que a vacina não provoca reações, causando gripe depois de ser aplicada; quando aparece algum sinal da doença é em razão do vírus ter sido contraído em um período anterior.

A vacina contra o vírus influenza – causador da gripe – está disponível nas unidades básicas de saúde, unidades de Saúde da Família e também em postos volantes, para alcançar populações em locais de difícil acesso, com limitações físicas ou que residem em casas geriátricas e asilos nos 78 municípios de Mato Grosso do Sul. Em Campo Grande, a prefeitura disponibilizou o número telefônico 3314-3099 para solicitações de deslocamento da equipe de vacinação até a casa de idosos que estejam acamados.

O próximo balanço da vacinação contra o vírus Influenza em Mato Grosso do Sul será divulgado pela SES no dia 10 de maio (quinta-feira).

Vacinação indígena

Outra campanha de vacinação em massa acontece nas aldeias indígenas de Mato Grosso do Sul, também, até 25 de maio. A multivacinação, iniciada no dia 23 de abril, pretende imunizar cerca de cinco mil indígenas por meio de um trabalho integrado das três esferas de governo – união, estados e municípios – com o objetivo de vacinar adultos e crianças, a partir dos seis meses, contra a gripe e colocar o esquema vacinal em dia.

Além das doses contra o vírus Influenza, são disponibilizadas as vacinas contra a Poliomelite, BCG, Hepatite B, a Tetravalente (contra Difteria, Tétano, Coqueluche e doenças, como a meningite que é a mais perigosa, causadas pela bactéria Haenophilus influenzae), Rotavírus, Febre Amarela e a Tríplice Viral (contra Sarampo, Rubéola e Caxumba). As doses contra a Varicela e Pneumonia atendem a população indígena com menos de cinco anos de idade e mais de 60. Kátia Mougenot salienta que essas vacinas ficam disponíveis para essa população durante todo o ano, o mês de campanha tem o intuito de intensificar a mobilização, buscando as famílias ainda não imunizadas.

 

 

TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 RISCO
OMS minimiza risco de novo coronavírus entrar na cadeia alimentar
HORÓSCOPO DO DIA
HORÓSCOPO DO DIA: Veja a previsão de hoje 14/08/2020 para o seu signo
CARA DE PAU
Cliente põe o próprio cabelo em lanche e tenta não pagar. VEJA O VÍDEO
VIOLENCIA DOMESTICA
Veterinária é agredida por ex-namorado médico e diz que tem medo de dormir em casa
FRANGO COM CORONAVIRUS
Frango brasileiro com coronavírus preocupa e acende alerta a produtores de aves de MS
HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo de quinta-feira 13 de agosto de 2020
FÁTIMA DO SUL - VAMOS ADOTAR UM PET
Oi eu sou a Maya!, você não quer me adotar?, veja como fazer a adoção pela ONG em Fátima do Sul
FATALIDADE
Adolescente morre após encostar em carregador que estava na tomada
BORA PRA BONITO - MS
Os 10 melhores passeios em Bonito, Mato Grosso do Sul
COVID-19
Em sessão remota, Eduardo Rocha pede um minuto de silêncio pelas mais de 100 mil mortes por covid-19