Menu
SADER_FULL
terça, 2 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

União reconhece situação de emergência de Ivinhema

12 Abr 2007 - 16h36

O governo federal, por meio do Ministério da Integração Nacional, reconheceu a situação de emergência no município de Ivinhema devido ao grave problema de erosão que atinge os bairros Vitória e Triguinã.

O reconhecimento foi publicado no Diário Oficial da União de terça-feira, dia 10. Com isso, Ivinhema poderá receber investimentos da União para combater o problema, que ameaça dezenas de famílias.

Em Ivinhema a erosão que assola a cidade desde 1998 piorou com as chuvas no início do ano. Estradas vicinais foram arruinadas e a erosão começou a invadir um bairro inteiro, no caso o Triguinã. Por conta do problema, moradores podem ficar desalojados se o processo não for contido. Devido a isso, o prefeito Renato Câmara (PMDB) está empenhado na solução do problema.

O reconhecimento da situação de emergência por parte do Ministério da Integração Nacional abre a possibilidade do município receber recursos do governo federal para reparar danos. Primeiramente, o prefeito Renato decretou situação de emergência municipal e buscou o mesmo com os governos estadual e federal, onde também conseguiu o reconhecimento. Agora basta alocar os recursos.

O prefeito Renato informou que já comunicou os deputados e senadores que formam à bancada de Mato Grosso do Sul no Congresso Nacional para que articulem junto ao Ministério da Integração Nacional a liberação dos recursos visando o combate a erosão em Ivinhema.

O “buracão”, como é conhecida a erosão, já destruiu casas e ameaças outras de desabamento.
A Prefeitura de Ivinhema já iniciou um trabalho de combate à erosão no bairro Vitória, através de emenda do então deputado federal João Grandão (PT).

Até agora foram investidos R$ 975 mil em obras de drenagem e uma bacia de contensão de água no bairro. Mas são necessários mais cerca de R$ 5 milhões para a conclusão das obras que prosseguem até o bairro Triguinã, onde a situação está se agravando mais.

A erosão começa no bairro Vitória e prossegue até o bairro Triguenã, numa extensão de aproximadamente quatro quilômetros, com cerca de 30 metros de largura e 10 de profundidade. Para piorar a situação, no Triguenã a erosão criou quatro “braços” que ameaçam “engolir” as casas e até destruir todo o bairro se nada for feito de imediato. A princípio, uma das saídas emergenciais é transferir algumas famílias para outras áreas.

O prefeito Renato também já articulou junto ao Governo do Estado a construção de casas populares em Ivinhema para atender, principalmente, o bairro Triguinã. A idéia é construir casas no alto do bairro e transferir as famílias que estão residindo próximo ao “buracão”. O governador André Puccinelli (PMDB) já sinalizou positivamente com o projeto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COISA MEDONHA
Mulher é desenterrada e estuprada um dia após ser sepultada
DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Menino de 9 anos, acidentalmente mata irmã de 7 anos com espingarda
TRAGEDIA NA RODOVIA
Mulher gravida e marido morrem e criança fica ferida em acidente trágico
PANDEMIA CORONAVIROS
Vai ser ''um massacre'', diz ex-diretor da Saúde sobre flexibilizar isolamento
BOA NOTICIA
Bolsonaro diz que auxilio emergencial pode ter quarta parcela, mas pagando menos
PRAZO MÁXIMO
Acordo prevê máximo de 20 dias para análise de auxílio emergencial
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
BOLETIM: Fátima do Sul tem mais 04 casos confirmados, sobe para 69 e tem 12 pacientes recuperados