Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 12 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

União prepara cobrança contra 700 devedores de Arcanjo

10 Ago 2004 - 08h24
 

A AGU (Advocacia Geral da União) vai começar a cobrar cerca de 700 cheques, notas promissórias e duplicatas apreendidos nas factorings de João Arcanjo Ribeiro durante a operação Arca de Noé, desencadeada em dezembro de 2002. Entre os devedores, estão parlamentares, ex-parlamentares, ex-secretários e servidores do governo federal.

O valor total desse lote, ainda sem correção monetária, chega a aproximadamente R$ 2 milhões. Os títulos de crédito fazem parte do relatório preliminar do inventário dos bens de Arcanjo. As informações foram entregues ao juiz Julier Sebastião da Silva em junho. A estimativa é de que haja outros seis mil títulos de crédito apreendidos à espera da auditoria. Ao final da análise, haverá novas ações de cobrança.

Dono de várias factorings em Mato Grosso, Arcanjo é acusado de agiotagem, já que suas empresas não faziam negócios apenas com pessoa jurídica, como determina a legislação das factorings, mas com pessoas físicas também. O juiz repassou o levantamento prévio das dívidas à AGU, que mandará cartas para os devedores, solicitando o depósito do valor devido em uma conta judicial.

Caso a dívida não seja quitada dentro do prazo estipulado, o órgão poderá ingressar com ações judiciais de cobrança. Todo o dinheiro arrecadado ficará sob a guarda da Justiça até que sejam esgotados todos os recursos. De acordo com o juiz, algumas pessoas já depositaram espontaneamente os valores devidos. Por enquanto, funcionários do órgão estão totalizando os valores e atualizando de acordo com os índices da inflação. Dentro de aproximadamente um mês, as primeiras cartas devem chegar aos devedores.

O inventário foi determinado por Julier em uma sentença do dia 16 de dezembro do ano passado, quando o Arcanjo foi condenado a 37 anos de prisão por lavagem de dinheiro. Na mesma decisão, todos bens do bicheiro foram repassados para a União. Desde então, uma equipe da Receita Federal e da Superintendência de Patrimônio da União está fazendo o levantamento. De acordo com a legislação, cada cheque tem validade de seis meses, porém o entendimento da Justiça é que, mesmo passado esse período, o crédito não prescreve, por isso a cobrança está sendo feita.

João Arcanjo Ribeiro está preso desde abril do ano passado em Montevidéu, no Uruguai, junto com sua mulher Sílvia Chirata. Além de crimes fiscais, ele é acusado de ser o mandante de uma séria de assassinatos em Cuiabá, entre eles o do empresário Sávio Brandão, dono do jornal Folha do Estado, morto em 30 de setembro de 2002. As informações são do jornal Diário de Cuiabá.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MAIS UM
Vírus com potencial pandêmico é detectado pela Fiocruz no Paraná
VÍTIMAS DE COVID-19
Mãe de médico morre horas após o filho e dois dias após o pai, vítimas da covid
VÍTIMA DE COVID-19
Covid tira de cena um dos últimos montadores do carro brasileiro
CD TRIBUTO AO PADRE ZEZINHO
No ano em Padre Zezinho faz 79 anos, Manoel Caires lança seu primeiro CD 'Tributo ao Padre Zezinho'
PAGAMENTO DO AUXILIO
Confira o calendário para saque em dinheiro do auxílio emergencial
AUXILIO EMERGENCIAL
Governo vai liberar mais 1,5 milhão de auxílios. Saiba como reclamar se o seu for negado
NÚMEROS DA ÚLTIMAS 24H
Os números da covid-19 no Brasil, atualizados diariamente
RECUPERAÇÃO
Dinho Ouro Preto revela sequelas após covid-19, ele já teve gripe suína e dengue
SOS SAUDE
Em 24 horas, nove pessoas morrem em casa pela covid-19 sem atendimento médico
BORA PRA BONITO - MS???
Bonito (MS) irá operar com tarifa de baixa temporada até 18 de dezembro e descontos de até 60%