Menu
SADER_FULL
segunda, 27 de setembro de 2021
Busca
UFGD

UFGD estuda efeito dos visitantes nos insetos do Rio Formoso em Bonito

5 Fev 2010 - 08h52Por ACS / Assessoria de Comunicação Social da UFGD

O Boticário financia pesquisa da UFGD para avaliar o potencial uso de invertebrados aquáticos como indicadores no biomonitoramento da visitação pública em Bonito

 

 

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), com apoio da “Fundação o Boticário de Proteção da Natureza”, está avaliando o efeito da visitação pública na comunidade de macroinvertebrados aquáticos (insetos) no Rio Formoso, em Bonito (MS).

 

O estudo começou em julho de 2008 e é realizado por professores da UFGD e da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso) e acadêmicos do mestrado em Entomologia e Conservação da Biodiversidade da UFGD.

 

O objetivo é somar esforços a uma série de iniciativas, hoje em desenvolvimento na região, buscando conciliar atividade turística e conservação da biodiversidade, em uma das regiões de maior crescimento de turístico do país.

 

O uso de macroinvertebrados aquáticos em programas de monitoramento ambiental tem crescido em todo o mundo, principalmente devido às respostas previsíveis que este grupo apresenta frente a diferentes tipos de impacto, como por exemplo, a poluição orgânica, desmatamento e metais pesados.

 

Esta pesquisa destaca-se pela tentativa de avaliar de forma experimental o efeito de pisoteio e movimentação de visitantes em ambientes aquáticos. Buscando entender os efeitos destas atividades na comunidade de macroinvertebrados aquáticos e utilização destas informações na elaboração de ferramentas, como protocolo de monitoramento e formação de pessoal, que auxiliem no desenvolvimento de programas de biomonitoramento. 

 

Resultados preliminares indicam que atividade de pisoteio e movimentação de visitantes em sistemas aquáticos na Bacia Hidrográfica do Rio Formoso (Bonito/MS) tem contribuído, não só, para a reestruturação e redução na diversidade biológica de macroinvertebrados aquáticos, mas também na simplificação da beleza cênica de locais onde ocorre atividade de visitação pública. 

 

O grupo dessa pesquisa é formado pelo Dr. Fabio de Oliveira Roque (coordenador), professor da UFGD e credenciado no Programa de Pós-Graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade; Dr. Paulino Barroso Medina Junior (colaborador) e professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); e Msc. Suzana Cunha  Escarpinati  (pesquisadora) e pós-graduanda do Programa de Pós-Graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade, UFGD.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESASTRE AÉREO
Diretor da UPA que sofreu acidente aéreo no Pantanal morre em hospital
COVID-19
Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas
+ AUMENTO
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
PAN AMERICANO JUNIOR
Atleta de MS carregará as cores do Brasil no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos Júnior
LIÇÕES DA BÍBLIA
Prefácio de Deuteronômio
ROTA BIOCEÂNICA
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
CASTELO DE AREIA
Idoso casa com prostituta 35 anos mais nova e flagra com outro
DOENÇA DO SÉCULO
Servidor público é encontrado pendurado em árvore
COVID-19
Ministra de Bolsonaro testa positivo para Covid e cancela agenda em Nova Andradina
ASSUSTADOR
Homem encontra boneca na parede com bilhete misterioso: "obrigada por me libertar"