Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 16 de janeiro de 2022
Busca
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

TJ nega pedido de anulação da Operação Owari

19 Jan 2010 - 07h40Por Dourados Agora

Acusados de corrupção passiva e fraudes em licitações tiveram tentativa de anulação do processo negada. Desembargadores rejeitaram a proposta por unanimidade.


O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, decidiu negar o Hebeas Corpus, com pedido de liminar, que anulava o processo de investigação da Operação Owari, desencadeada em julho do ano passado pela Polícia Federal.
Com a decisão, tomada por unanimidade, o processo continua tramitando na Justiça. O processo de nº 2009.030924-2, disponível no site do Tribunal de Justiça, foi entregue da 1º Vara Criminal de Dourados ao desembargador Miguel Abss Duarte, no dia 10 de novembro. De lá ele seguiu para a Coordenadoria de Processamento (Departamento dos Órgãos Julgadores).
Caso o pedido fosse aceito, todos os processos da Operação teriam sido cancelados. O Tribunal de Justiça, por sua vez, alegou que as denúncias do Ministério Público estavam de acordo com a lei e deu continuidade ao processo.
Com relação as investigações, todas elas estão em andamento, segundo o MPE. Ao todo somam 10 delas. Elas foram encaminhadas para a Justiça Federal, Tribunal de Justiça e Fórum dos municípios onde há suspeita do suposto esquema. Ao todo, o valor supostamente desviado dos cofres públicos estaria avaliado em R$ 20 milhões, segundo a PF. Um total de 73 pessoas, entre servidores públicos e empresários foram indiciadas.
A denúncia foi feita com base no inquérito policial 115/2009 da Polícia Federal. O relatório denunciou em julho que o esquema de corrupção funcionava por meio da inserção ilícita de empresas na prestação de serviços ou produtos em troca de dinheiro ou favores. A organização seria chefiada por um empresário douradense, que também foi indiciado.
Conforme a PF, os servidores acusados na Operação, tinham o papel de facilitar o processo de licitação e fazer com que empresas do esquema fossem contratadas por meio ilícito. Na prática, ao invés de defender os interesses públicos, "claramente atuam a favor de interesses privados", diz trecho do relatório da PF, assinado pelo delegado Bráulio César Galloni, na época.

Leia Também

TEMPORAL - VIDEO
Forte chuva derruba árvores e deixa 23 mil pessoas sem energia
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 175 novos óbitos, totalizando 620.971
TRAGÉDIA
Deslizamento de terra destroi casarão histórico em Ouro Preto MG
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Pai, mãe e três filhas morrem em capotamento de caminhão
BIG BROTHER
Saiba quem foram os ex-BBBs que já morreram; 3 estiveram no BBB9
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem 87,4 mil casos e 133 mortes em 24 horas
HOMICIDIO EM SÉRIES
Bandido que comia olhos, orelhas e bebia sangue de vítimas é preso
COVID NO BRASIL
Brasil tem em 24 horas, mais 70.765 novos casos de covid-19
FAMILIA GRANDE
Mãe dá à luz quíntuplos em maternidade de São Paulo
joao 5 39 examinais as escrituras 2_3 LIÇÕES DA BIBLIA
Por meio Dele Deus fez o Universo