Menu
SADER_FULL
segunda, 25 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Testemunha diz ter revelado a Lula corrupção em Santo André

6 Dez 2005 - 17h39
A secretária especial da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida da Prefeitura de São Paulo, jornalista Mara Gabrilli, disse hoje à CPI dos Bingos que detalhou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em março de 2003, todo um esquema de corrupção na cidade de Santo André (SP).

Ela relatou que foi a Lula "pedir para que o presidente promovesse uma intervenção federal na prefeitura de Santo André". Segundo ela, o presidente estava acompanhado de dona Marisa e três assessores, e ela com sua assistente. "Comecei contando a situação de saúde de meu pai, o pagamento de caixinha todo dia 30, e o presidente fazia perguntas dando a entender que não sabia de nada", disse ela. Segundo disse, Lula pediu para um assessor anotar alguns pontos disse que "iria tomar providências a respeito". Mara Gabrilli afirmou que "nada foi feito".

A secretária especial de São Paulo disse ter mostrado, na casa do presidente, que as irregularidades na prefeitura e as represálias à empresa de transporte do pai, Lizaberto Júlio Gabrilli Filho, continuavam mesmo depois da morte do prefeito Celso Daniel e "só o sistema de caixinha mensal para arrecadação de dinheiro havia cessado". Segundo conta, "a empresa estava sofrendo retaliações por parte da prefeitura, que privilegiava outras empresas em detrimento da de meu pai".

À CPI dos Bingos, Gabrilli, que se filiou ao PSDB no passado, afirmou que não estava ali como secretária, mas como filha de Lizaberto Júlio Gabrilli Filho, empresário na área de transporte desde 1961. "A pressão que meu pai começou a sofrer o deixou doente e, por conta de três pessoas, uma dentro da prefeitura de Santo André, o (hoje ex-) secretário de serviços municipais, Klinger de Oliveira, o empresário Ronan Pinto, e Sérgio Sombra (Sérgio Gomes da Silva, ex-segurança de Celso Daniel), ele se transformou em outra pessoa, "tensa e abalada, com o nível de corrupção montado".

Mara também afirmou que a conversa foi acompanhada por um dos assessores do presidente, "um homem alto e de barba", que teria dito a ela, "de maneira impositiva", para não falar com a imprensa sobre o teor da conversa com o presidente e mencionasse apenas que teriam falado sobre "reabilitação de portadores de deficiência física".

A história havia sido contada à CPI pela irmã de Mara, a empresária Rosângela Gabrilli, no dia 23 de novembro. Rosângela é uma das proprietárias da Expresso Guarará, empresa de transporte coletivo com sede em Santo André.

 

 

Terra

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Circuncidem seu coração
OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA