Menu
SADER_FULL
quinta, 21 de outubro de 2021
Busca
Brasil

TCU aponta prejuízo de R$ 106,2 mi com publicidade

9 Nov 2006 - 07h27
Relatório consolidado sobre a publicidade no governo federal, aprovado nesta quarta-feira pelo Tribunal de Contas da União (TCU), constata prejuízo de R$ 106,2 milhões aos cofres públicos, causado por falhas de controle de gastos e irregularidades como superfaturamento de contratos e pagamento por serviços não prestados. Foram alvo de investigação gastos de publicidade de 17 órgãos ou empresas da administração pública no período entre 2000 e 2005.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, que teve acesso ao relatório, assinado pelo ministro Ubiratan Aguiar, o documento pede o fim da publicidade institucional no setor público, afirmando que esse tipo de campanha se confunde com a auto-promoção de governantes. Procurado pela reportagem, o subsecretário da Secretaria de Comunicação (Secom) do governo federal, Tadeu Rigo, não foi localizado. O secretário geral, ministro Luiz Dulci, irá se pronunciar somente hoje sobre o relatório.

O ministro Aguiar defendeu a proposta de emenda constitucional que pretende limitar a publicidade oficial a informes sobre saúde pública e propaganda de produtos e serviços de empresas estatais. A emenda, que já tramita no congresso, foi proposta por membros da CPI dos Correios, durante as investigações de denúncia de prática de caixa dois envolvendo o PT e o empresário Marcos Valério.

"Surgem evidências de que verbas aplicadas em publicidade acabam transformando-se, de forma viciosa, em fontes de financiamento de campanhas eleitorais", afirma o ministro no relatório.

Irregularidades
A investigação do TCU se concentrou em órgãos públicos como Banco do Brasil, Correios, Eletronorte, Câmara dos Deputados e ministérios do Trabalho e dos Esportes - que mantinham contratos publicitários com as agências DNA e SMP&B, de Valério - apontado como principal operador do esquema do "mensalão". Outros 11 contratantes também foram investigados.

Segundo o TCU, "em todos os órgãos foram identificadas irregularidades que demonstram a existência de falhas no controle de execução dos contratos de publicidade". O valor total de perdas apontado pelo tribunal inclui R$ 11,7 milhões que podem ter sido desviados em quatro balanço anuais do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, encomendados às agências Duda Mendonça & Associados e Matisse Comunicação de Marketing.

A maior parte do prejuízo se refere ao suposto não-recebimento pelo Banco do Brasil da "bonificação de volume", um desconto concedido pelos fornecedores de serviços das agências de publicidade.

 

 

Terra Redação

Leia Também

VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA
LIÇÕES DA BÍBLIA
Ele nos amou primeiro
AUXILIO EMERGENCIAL
Presidente está de acordo a prorrogação do auxílio emergencial
TRAGICO ACIDENTE
Menino de 9 anos morre enforcado com corda de balanço