Menu
SADER_FULL
quarta, 27 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Suzane Richthofen dá ordens a advogados durante júri

19 Jul 2006 - 15h37
O comportamento dos réus do caso Richthofen chama a atenção do público que assiste ao julgamento, iniciado na segunda-feira (17), no plenário do 1º Tribunal do Júri de São Paulo, no fórum da Barra Funda (zona oeste de São Paulo). Daniel Cravinhos tem chorado em diversas ocasiões, enquanto a filha das vítimas, Suzane von Richthofen, 22, tem sido vista dando ordens aos advogados.

Suzane, o então namorado dela, Daniel, e o irmão dele, Cristian, são réus confessos no processo que os acusa de ter planejado e matado os pais dela, Manfred e Marísia von Richthofen, na casa em que a família morava, na zona sul de São Paulo, em outubro de 2002.

O júri começou com os interrogatórios dos réus, na segunda. Em seguida, as testemunhas passaram a prestar depoimento. O décimo depoimento acabou por volta das 12h (de MS) desta quarta. Daniel tem chorado em diversas ocasiões. Ele chegou a pedir lenços de papel à advogada dele, Gislaine Jabur, para secar o rosto e o nariz, e copos d'água. Suzane, sentada ao lado do jovem, se mostrou incomodada com o choro e afastou a cadeira dela.

No interrogatório dele, no primeiro dia, ele esteve visivelmente nervoso. Mesmo assim, falou de forma pausada e correta, usando, inclusive, expressões formais, que poderiam denunciar que o discurso havia sido ensaiado. Enquanto falava, ele manteve as mãos --algemadas-- entre as pernas. Nesta quarta, ele trocou um olhar amistoso com a testemunha Sérgio Gargiulo, que era amigo pessoal dele e chegou a ir a um churrasco na casa de Suzane antes do crime. Em plenário, quando tem Suzane ao lado direito e o irmão, ao lado esquerdo, Daniel mantém os ombros curvados e a cabeça baixa.

Suzane

No plenário, Suzane tem um comportamento diferente de Daniel. Ela mantém uma postura praticamente estática, com o queixo enterrado no peito e os cabelos sobre o rosto. Em alguns momentos, porém, ela ergue a cabeça com determinação e chama pelos advogados. "Vem aqui agora", ela diz, com os lábios travados e a testa franzida. Durante a sessão, Suzane conversa freqüentemente com o ex-tutor legal e advogado dela, Denivaldo Barni. Ele alisa os cabelos da moça e beija a testa dela, enquanto a ouve.

Foi Barni quem acolheu Suzane na casa dele, enquanto ela esteve em liberdade provisória e em prisão domiciliar. Barni era amigo e colega de Manfred na Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A). No interrogatório dele, também no primeiro dia de júri, Suzane, embora estivesse algemada, ergueu as mãos para gesticular. Quando começou a falar, dizendo que contaria "sua história", ela adotou um tom pausado e infantil, que concordava com a postura dela, já que ela tinha os pés plantados no chão e virados para dentro.

No decorrer da narrativa, no entanto, Suzane pareceu ter relaxado e passou a interpretar os diálogos aos quais se referia. "Lá [na casa de Daniel], ele começou a cheirar tíner, a cheirar cola. Ele dizia 'vai, Su, cheira, é legal'. E lá ia eu, e lá ia eu. Fazendo tudo e obedecendo. Tudo com ele era à base de muita, muita droga." Suzane fez questão de ressaltar o uso do verbo "obedecer", que repetiu dezenas de vezes.

O método está alinhado com a tese da defesa dela, que pretende provar que a ré estava sob o poder de Daniel --por meio do consumo de drogas e do sexo-- quando cometeu o crime. Suzane e os irmãos Cravinhos foram denunciados (acusados formalmente) por duplo homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima; e fraude processual, por terem alterado a cena do crime.

 

 

Folha Online 

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Julgue com justiça
LIÇÕES DA BÍBLIA
Amem o estrangeiro
LIÇÕES DA BÍBLIA
Circuncidem seu coração
OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos