Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 25 de outubro de 2021
Busca
Brasil

SUS é responsável por 80% do atendimento no país

4 Ago 2006 - 10h42
 

O Sistema único de Saúde (SUS) responde hoje pelo atendimento de 80% da população brasileira. Os outros 20% usam o sistema privado, como planos e seguros de saúde.

“O SUS é muito importante. Além de atender 80% da população, ele acaba cobrindo grande parte dos procedimentos mais caros e de alta complexidade que os planos de saúde não cobrem, diz o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, José Gomes Temporão.

Ele cita como exemplo o transplante de órgãos, uma área em que o Brasil é referência mundial. Segundo o secretário, 90% desses procedimentos são feitos hoje pelo sistema público de saúde.

Apesar da abrangência de cobertura e atendimento, o SUS não está livre de problemas. Uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde, em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde, aponta as filas nas emergências dos hospitais, o longo tempo de espera para a realização de exames e cirurgias e a incapacidade das unidades de saúde de acolherem os pacientes como as principais queixas dos usuários do sistema.

O presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo, Cid Carvalhaes, atribui esses problemas à falta de verbas e ao uso inadequado dos recursos destinados para a área.

“A saúde tem uma verba minguada e, infelizmente, não atende plenamente à demanda do SUS”, diz. “Infelizmente também, os governos estaduais e grande parte das prefeituras são insensíveis a esse tipo de programa e não obedecem à dotação orçamentária”.

O secretário do Ministério da Saúde compartilha da opinião de Carvalhaes. E lembra que essa dificuldade não acontece apenas no país, mas em sistemas de saúde de outros países semelhantes ao do Brasil, como o da Inglaterra.

“A quantidade de recursos que se gasta em saúde não é suficiente para dar conta de todas as necessidades”, diz. “Gastamos por ano por habitante metade do que a Argentina ou o Chile gastam nos seus sistemas, e um décimo do que o Canadá. Temos um problema não só de uso inadequado de recurso, mas da falta de recursos para dar assistência a toda população”.

Parte dos recursos do SUS está vinculada ao Orçamento Geral da União, aprovado anualmente pelo Congresso Nacional. O governo federal destina 8% líquido do orçamento à saúde. Mais 12% da arrecadação dos estados e 15% da arrecadação dos municípios formam a verba destinada ao SUS no Brasil.

O Ministério da Saúde reúne essas verbas no Fundo Nacional de Saúde. De acordo com o número de pessoas de cada estado, é repassada a verba para o Fundo Estadual de Saúde e, em seguida, para o Fundo Municipal de Saúde. Esse repasse é chamado de fundo a fundo.

Outra forma de se destinar verbas à saúde é por meio dos convênios. Esse tipo de repasse é usado, por exemplo, para investimentos na construção de hospitais, reformas ou aquisição de novos aparelhos, e também deve passar pelo Congresso Nacional para ser aprovado.

 

 

Agência Brasil

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Circuncidem seu coração
OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA