Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 13 de maio de 2021
Busca
Brasil

"Supertufão" atinge Filipinas com ventos de 225 km/h

18 Out 2010 - 10h02Por BBC Brasil

Um "supertufão" atingiu nesta segunda-feira o norte das Filipinas, trazendo fortes chuvas e ventos de mais de 225 km por hora.

Milhares de pessoas que vivem na área afetada pela tempestade Megi foram forçadas a deixar suas casas. Os serviços de emergência estão em alerta máximo, e muitas escolas fecharam suas portas na região.

A Megi é a mais potente tempestade a atingir o país nos últimos 20 anos, segundo o chefe da Cruz Vermelha local, Richard Gordon. Em 2006, um tufão com ventos de 155 km por hora provocou desmoronamentos de vilas inteiras e a morte de cerca de mil pessoas.

Ciclones tropicais formados no oceano Pacífico são chamados de tufões, e sua classificação, numa escala de 1 (se os ventos forem de até 153 km/h) a 5 (a partir de 250 km/h), é semelhante à de furacões no oceano Atlântico.

Por estar no topo da escala, o Megi foi chamado de "supertufão" ao atingir as Filipinas e pode provocar ondas de 14 m de altura na costa do país.

Acredita-se que ele tende a enfraquecer ao se mover pelo norte filipino, mas, por enquanto, as províncias dessa região estão se preparando para possíveis danos em infraestrutura e em plantações durante a passagem da tempestade.

Um pescador morreu afogado na ilha de Luzon, e um político local e candidato às eleições regionais da semana que vem desapareceu, após cair em um rio.

Pressão
A correspondente da BBC Kate McGeown relata que serviços de emergência na capital Manila estão estocando comida e remédios e que, no norte do país, fazendeiros estão adiantando suas colheitas - as mais comuns na região são de arroz - para tentar evitar que sejam destruídas pelo tufão.

Autoridades filipinas estão sob forte pressão para que as operações de resgate sejam bem sucedidas, depois das críticas feitas no ano passado que consideraram insuficiente a reação do governo ao tufão Ketsana. Na ocasião, milhares de pessoas atingidas pelas cheias disseram ter recebido ajuda somente de grupos não-governamentais.

E, em julho, um tufão atingiu Manila e deixou cem mortos, contrariando as previsões da agência de análises climáticas local, que havia informado que a capital seria poupada da tempestade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada