Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 17 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Sobreviventes vão precisar de tempo e apoio psicológico para superar trauma

8 Abr 2011 - 08h52

As crianças que testemunharam ontem (7) o assassinato de colegas por um ex-aluno em uma escola municipal do Rio de Janeiro vão precisar de tempo e ajuda psicológica para retomar o cotidiano.

O período de luto e de readaptação pode variar entre as crianças e depende das condições psicológicas e psiquiátricas e dos parentes de cada uma, segundo especialistas.

O psiquiatra e professor do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Antonio Carvalho de Ávila Jacintho, disse que é preciso respeitar o luto para que as crianças e os adultos que presenciaram a tragédia possam tentar assimilar o ocorrido.

“A escola precisa ficar fechada para que esses jovens possam elaborar o que aconteceu.

Sempre que passamos por uma tragédia, principalmente as coletivas, isso desperta uma comoção maior, é necessário um tempo para tentar elaborar e, na medida do possível, entender quais as motivações para o fato”.

Após o trauma é possível que as crianças apresentem sintomas de estresse e depressão, de acordo com o médico, mas nem todas reagirão da mesma forma nem é possível prever o tempo que cada uma levará para a retomar a vida normal.

“As respostas de cada criança são muito particulares. Uma criança que tem funcionamento mental mais próximo da normalidade e estrutura familiar mais presente, terá prognóstico de reação melhor diante dessa situação traumática.

Uma criança que tenha fragilidade, fobia, algum tipo de transtorno, pode ter maior dificuldade em elaborar esse processo.

Mas para ambas é preciso um tempo para elaborar o que aconteceu”, compara o médico.

“As pessoas reagem de maneiras diferentes. Algumas paralisam, algumas são mais sensíveis.

Mas pouco a pouco vão voltar ao que a gente chama de normalidade, de cotidiano normal”, acrescenta a professora do Departamento de Psicologia Clínica da Universidade São Paulo (USP), Ivonise Fernandes da Mota.

Além do atendimento psicólogo e psiquiátrico paras as crianças, os adultos envolvidos na tragédia também precisarão de suporte para superar o trauma, segundo Jacintho.

“A escola também vai precisar de receber algum tipo de ajuda para que possa enfrentar essa situação retomar a normalidade.

Os professores, diretores, pessoas no comando vão ter que ter assistência para poderem elaborar, lidar com essa situação”.

O episódio, na avaliação do especialista da Unicamp, deve estimular o debate da sociedade sobre valores, principalmente entre os jovens.

“Vivemos uma cultura onde a violência tem sido bastante valorizada, há identificação com figuras muito violentas.

Entre os jovens, ser violento é um símbolo de força, de poder, de virilidade, de potência”.

Para Ivonise Mota, a tragédia, por mais traumática que seja, não pode ser esquecida.

“Esquecer pode ser um alívio, mas, nessa situação, é necessário que a memória seja preservada e que a gente possa refletir com bastante seriedade. Estamos sujeitos a muitas violências, de várias ordens.

Precisamos parar e refletir sobre o que isso significa em um nível mais amplo, de comunidade, de sociedade"

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério
SEUS DIREITOS
Trabalhador afastado por Covid-19 tem direito a auxílio-doença do INSS
COM DESCONTOS
Veja as opções de pagamento do IPVA com desconto
CASA PRÓPRIA
Casa Verde e Amarela substitui Minha Casa Minha Vida com opção para renegociar dívidas e menos juros
FINALISTA LIBERTADORES
Santos atropela Boca Jr e terá o Palmeiras numa final Brasileira
TRAGÉDIA NA PONTE
Motorista morre após caminhão cair de ponte