Menu
SADER_FULL
quarta, 3 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Sistema hidroviário de MS precisa de R$ 2,8 bilhões para recuperação

25 Abr 2011 - 08h28Por Correio do Estado

Depois do sistema rodoviário, o hidroviário é o mais caro de se recuperar em Mato Grosso do Sul, segundo a CNT. O Estado precisa de aproximadamente R$ 2,8 bilhões para abertura de canais, ampliação de profundidade e dispositivos de transposição dos rios.
Três grandes obras ligariam MS à importantes hidrovias do País, ampliando mercados, como as do Araguaia, do Tocantins, do Paraguai e do Paraná-Tietê. Entre Coxim e Costa Rica, a Confederação sugere a abertura de um canal entre os rios Taquari e Araguaia; entre Coxim e Rio Verde a abertura de canal entre rios Taquari e Verde e, entre Miranda e Ivinhema, a abertura de canal entre os rios Miranda e Ivinhema.
A CNT indica ainda a ampliação de profundidade nas hidrovias dos rios Paraná e Paraguai, envolvendo Três Lagoas, Foz de Iguaçu, Cáceres e Corumbá. E, também a modernização da eclusa de Porto Primavera, em Batayporã.

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 TRÉGUA
Brasil registra 1.726 mortes em 24 horas e bate novo recorde na pandemia; total chega a 257,5 mil
EXECUÇÃO NA MADRUGADA
Dona de bar é degolada e corpo encontrado nos fundos do estabelecimento
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Filho de fazendeiro reclama de dor anal e mãe descobre estupro cometido por funcionário
BOA NOTICIA
Governo zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha
RIGOR DA LEI
Cidade vai multar em até R$ 60 mil quem descumprir decreto de combate ao Covid-19
PANDEMIA 100 FIM
Brasil tem 30.484 mortes por Covid-19 em fevereiro, 2º maior número em toda a pandemia
charge_gasolina 100 TRÉGUA
Facada: Petrobras anuncia novo aumento nos preços da gasolina e diesel
CARCERE PRIVADO
Homem é preso por cárcere privado e violência doméstica após mulher pedir socorro com foto nas redes
NOVO AUXILIO
Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Covid-19: Brasil registra 1.541 mortes em 24 horas